quinta-feira, 28 de Maio de 2015 11:35h Atualizado em 28 de Maio de 2015 às 11:38h. Carina Lelles

Casal é encontrado morto na zona rural de Formiga

Polícia trabalha com a hipótese de homicídio, seguido de suicídio

Um casal foi encontrado morto nesta terça-feira no povoado de Córrego da Areia, zona rural de Formiga. Os dois são moradores de Arcos e os corpos foram encontrados em um sítio e não há, segundo a Polícia Civil, evidência de que eles tenham sido atacados.
Os corpos de Jaéder Carlos Leal, de 52 anos, e Maria Eunice Rolindo, de 48 anos, foram encontrados pela Polícia Militar (PM) ao ir até o sítio para averiguar o extravio de um revólver calibre 38, da empresa onde o homem trabalhava como vigilante.
De acordo com a PM, no local onde a arma deveria estar guardada, na empresa, foram encontrados um alicate e um saleiro. Pelas câmeras de vigilância da empresa de segurança foi possível ver Jaéder sendo o último a sair do local e com a arma.
Os policiais militares procuraram os parentes do vigilante que informaram que ele não era visto desde segunda-feira. Ao procurar a namorada dele, os familiares de Maria disseram que ela também não era vista desde o início da semana e que os dois costumavam a frequentar o sítio.
Ao chegarem ao local, os policiais encontraram os corpos abraçados. Maria foi morta com três tiros e Jaéder com um tiro na cabeça. A arma, que foi encontrada na mão do vigilante, é a mesma que sumiu da empresa de segurança.
A perícia da Polícia Civil foi acionada e os profissionais não encontraram nenhuma evidencia de ataque. Os investigadores trabalham com a hipótese de que o homem tenha matado a mulher e depois cometido suicídio.
De acordo com a PM, vizinhos ouviram barulho de tiro, na tarde de segunda-feira, mas pensaram tratar de caçadores. Após os trabalhos periciais os corpos foram liberados e levados para Formiga.
A arma e o carro do vigilante foram apreendidos. A Polícia Militar informou que não há registro de ocorrência entre o casal e os familiares não souberam informar se eles estavam tendo problemas no relacionamento.
Nota
Em nota, a assessoria de comunicação da empresa de segurança onde Jaéder trabalhava disse que “lamenta profundamente o trágico fato ocorrido. Que todo e qualquer suporte necessário às famílias envolvidas será prestado e que o colaborador em questão não possuía qualquer fato ou má conduta que gerasse suspeita.”

 

Crédito: Portal Arcos

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.