sexta-feira, 28 de Novembro de 2014 04:28h Atualizado em 28 de Novembro de 2014 às 06:00h.

Cigano que sequestrou criança apresenta nome falso à polícia

A Polícia Civil de Itaúna descobriu que o cigano que raptou uma criança de onze anos, também cigana, apresentou documento falso quando foi preso há quase 30 dias

O homem possui passagens pela polícia e possuía um mandado de prisão em aberto.
Quando preso, no dia 31 de outubro, ele apresentou um documento de identidade no nome de Paulo Fernandes, originário do estado do Mato Grosso. Quase um mês depois, a Polícia Civil de Itaúna descobriu que o homem na verdade se chama Sidiney Fernandes, de 36 anos, e é natural do estado de Goiás.
Verificando os antecedentes, a Polícia Civil descobriu que o cigano é foragido da justiça e possui mandado de prisão preventiva por crime cometido na cidade Aruana, em Goiás.
O delegado Artur Vieira informou que o suspeito terá o mandado cumprido e permanecerá preso. Além de responder pelo crime de sequestro, o suspeito também será indiciado pelo crime de falsificação de documento.

 

 

Prisão
Sidney foi preso no dia 31 de outubro em Itaúna. Ele e uma mulher estavam com uma criança que havia sido sequestrada em Lagoa da Prata.
De acordo com a avó da menina, um grupo de ciganos levou a criança para se casar com o neto de um deles. De acordo com a avó, ela estava com os três netos, entre eles Nayara Fernandes Moreira, de onze anos, em Lagoa da Prata, e um homem chamado Rael, que também é cigano, ofereceu estadia em sua casa para ela e os netos. Na época ela ainda contou que na casa estava outro grupo de ciganos, composto por sete pessoas.
Ainda de acordo com a avó da criança, na noite de 26 de outubro, dois homens do grupo de ciganos, que também estavam na residência, a ameaçaram com um revólver, dizendo que levariam sua neta com eles.

 

cigano, sequestrou, crianca, apresenta, nome, falso, policia

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.