segunda-feira, 30 de Julho de 2012 09:12h Gazeta do Oeste

Corpo de Presidente da Vilma Alimentos foi cremado em Contagem

 Os corpos do presidente da Vilma Alimentos, Domingos Costa, 58, e do filho do segundo casamento dele, Gabriel Barreira Costa, de apenas 14 anos, foram cremados na tarde deste domingo (29) no Cemitério Renascer, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte.

 

 

Já o vice-presidente de Vendas e Marketing da empresa, Cezar Roberto de Pinho Tavares, 55 anos e da gerente de Controladoria, Lídia Colares de Souza Lima, 31 anos, que estava grávida de 8 semanas e que também morreram no desastre aéreo em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, também foram cremados na tarde deste domingo (29) no Cemitério Renascer.

 

A gerente de Recursos Humanos, Adriana da Conceição Rocha Ezequiel Vilela, 47 foi sepultada no cemitério do Bonfim, região Noroeste de Belo Horizonte, às 16h. Já o analista de Geomarketing, Tiago Felipe Cardoso Bretas, 26 anos foram enterrados no Parque da Colina, no bairro Nova Cintra. O piloto Jair Barbosa, 62 anos, e o co-piloto, Rodrigo Henrique Dias da Silva, 35 anos também foram enterrados no Bonfim às 13h.

 

 

A Vilma Alimentos divulgou nota no fimda tarde de ontem (28) lamentando profundamente o falecimento dos seus executivos e funcionários. “A Vilma Alimentos agradece as manifestações de condolências e solidariedade".

 

O acidente - A queda do avião ocorreu próximo a rua Décio Guanabarino, no momento em que o piloto da aeronave tentou aterrissar no aeroporto Serrinha, em Juiz de Fora. Segundo testemunhas que estavam próximas ao local minutos antes do acidente, o avião esbarrou em um fio de alta tensão, logo em seguida, bateu em algumas árvores e também em um quiosque da pousada Aconchego de Minas e explodiu.

 

 

As investigações que apuram as causas do acidente com um bimotor que deixou sete funcionários da empresa Vilma Alimentos e um adolescente mortos neste último sábado (28) em Juiz de Fora, não descartam a hipótese de falha humana. Segundo o diretor do Aeroporto Francisco Alves de Assis, o piloto Jair da Costa, foi informado de que o tempo estava fechado em Juiz de Fora e havia bastante neblina e um princípio de nevoeiro na região do aeroporto. Mesmo assim, o piloto teria decidido realizar o pouso, em comunicado feito as 7h45.

 

A Polícia Civil e dois peritos do Serviço Regional de Prevenção e Investigação de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III) estiveram no local. Eles recolheram a caixa preta e pedaços do avião - como uma roda e dois bancos que ficaram intactos. Todo o material será levado para análise ainda esta semana na sede do Seripa, em Brasília.

 

 

 

 

 

 

O TEMPO

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.