quarta-feira, 22 de Junho de 2016 17:14h Acasp

Delegado da PC se pronuncia sobre rumos da investigação do crime de latrocínio

A reunião da Associação Comunitária para Assuntos de Segurança Pública – Acasp, desta quarta-feira, 22/06 foi atípica

O encontro, que normalmente é direcionado aos debates sobre segurança pública, se estendeu para o pronunciamento da Polícia Civil sobre um caso que chocou a população, o crime de latrocínio, ocorrido no último domingo, no bairro Nossa Senhora das Graças em Divinópolis. “A população quer uma reposta imediata sobre o crime, e merece esse tratamento. Na reunião da Acasp nós temos esse comprometimento, de debater assuntos de segurança pública com a participação da sociedade,” reforçou o Presidente da Acasp, José Levi Lucas.

 

Com a presença de toda a imprensa divinopolitana, o delegado regional Leonardo Pio pontuou as linhas de investigações para solucionar o caso e trazer, o quanto antes, uma resposta à população. No pronunciamento o delegado deixou bem claro o esforço da PC em concluir esse inquérito. Alinhados com o serviço de Inteligência da Polícia Militar, a Polícia Civil tenta levantar todas as informações quanto a identificação dos autores do crime. Nessa segunda-feira, 20/06, uma denúncia levou a militares até o bairro Davanuze, onde um suposto envolvido no crime foi preso. Ele foi conduzido á delegacia e ouvido. “Por falta de indícios, elementos que comprovem a participação desse indivíduo no crime que terminou com a morte da comerciante Vera, a Polícia Civil fez os seus trabalhos, colheu o depoimento e o liberou. Mas ele continua sendo alvo das investigações” – salientou Delegado Regional, Leonardo Pio.

 

Sobre a prisão do segundo suposto autor de participar do crime, que foi detido na tarde de ontem, a Polícia Civil informou que seguiu as mesmas diligências. O jovem, de 20 anos, foi conduzido pela PM após um cumprimento de mandado de busca e apreensão. Com ele os militares encontraram um cigarro de maconha. O delegado responsável pelo caso, Marcos Antônio Noronha confirmou que esse jovem foi delatado pelo primeiro suspeito preso. “Nós temos três policias empenhadas na investigação, e é um trabalho muito criterioso e estamos reunindo provas sobre o caso para levar a justiça e assim, o Ministério Público posso oferecer a denúncia com tranquilidade”, explicou delegado, Marcos Antônio.

 

Nessa manhã uma equipe da Polícia Civil desencadeou uma operação a fim de apurar as informações recebidas através de denúncias sobre o caso. Os detalhes sobre o trabalho dos investigadores são mantidos em sigilo para não atrapalhar na conclusão do inquérito.

 

Greve da Polícia Civil

 

Questionados pela imprensa e participantes da reunião da Acasp, os delegados deixaram claro que a paralisação dos servidores da Polícia Civil, iniciada no dia 20-06, não irá prejudicar o andamento das investigações sobre o latrocínio. Os profissionais que aderiram à greve trabalham em escala reduzida, garantindo apenas 30% do atendimento, como prevê a lei.  A greve tem a intenção de forçar o governo a abrir o dialogo sobre o plano de carreira dos profissionais. 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.