quinta-feira, 30 de Julho de 2015 14:14h Assessoria de Comunicação – PCMG

DHPP realiza mais uma etapa da operação Sieg

A Polícia Civil, por meio do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), realizou, na manhã desta quinta-feira (30), mais uma etapa da Operação Sieg

A Polícia Civil, por meio do Departamento de Investigação de Homicídios  e Proteção à Pessoa (DHPP), realizou, na manhã desta quinta-feira (30), mais uma etapa da Operação Sieg, visando o cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão na região do Barreiro, na capital, além de Contagem e Ibirité, região Metropolitana de Belo Horizonte. A ação é uma sequência dos trabalhos relativos à investigação que resultou na prisão de um dos criminosos mais procurados do Estado, Neuber Júlio de Souza (o Alemão), de 39 anos.

Durante operação, a polícia prendeu Glênio Carlos Ferreira, de 38 anos, considerado um dos diretores no esquema do tráfico de drogas em investigação e ‘braço direito’ de Neuber. Na casa de José Osvaldo Rodrigues (o Magrelo ou Zé Osvaldo), foragido da polícia, foram apreendidos quase 70 mil reais em dinheiro, um tablete de maconha e um revólver calibre 38.  José Osvaldo é um dos responsáveis pelo transporte da droga traficada pela quadrilha.

Além de José Osvaldo, continuam foragidos Gérson dos Santos Souza (o Lance), João Paulo de Souza Cruz (o Joãozinho), Reginaldo Alves Cândido (o Baiano) e  Alex de Freitas da Costa (o Fininho). O delegado Antônio Harley, que coordena as investigações, ressaltou que, desde a deflagração da Operação Sieg, houve uma redução de 70% no índice de homicídios registrados na região do Barreiro.

Operação Sieg

A execução da Operação Sieg (que significa “vitória”, em alemão) resultou na desarticulação de uma das maiores quadrilhas de tráfico de drogas do Estado e consequente prisão de seu líder, o Neuber. Ele foi preso no dia 14 de abril deste ano, no Aeroporto Internacional de Goiânia. Neuber, junto com o irmão, Milton Júnior de Souza, de 43 anos, que também foi preso na mesma data, comandavam o tráfico de drogas na região do Barreiro e cidades adjacentes. A polícia acredita que os irmãos movimentavam cerca de R$ 9 milhões por mês com o tráfico.

As investigações tiveram início com o monitoramento da quadrilha liderada por Alemão.  A partir disso, a polícia identificou vários nomes e a função que cada um desempenhava no grupo.  Em uma das etapas da operação, realizada no início do mês de junho, foram presas 29 pessoas e apreendidos 231 quilos de maconha e aproximadamente R$ 140 mil em dinheiro, além de armas e veículos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.