quinta-feira, 2 de Maio de 2013 10:27h Erik Ullysses

Divinópolis registra alto índice de violência contra mulheres

Eliane Piola disse ainda que vem buscando junto a autoridades de Divinópolis algumas formas de otimizar os trabalhos, com o objetivo de reduzir o número de mulheres agredidas em Divinópolis.

As mulheres divinopolitanas estão entre as que mais denunciam agressões sofridas em relação as demais cidades de Minas Gerais. Ao menos é que aponta os números recentes apresentados pela secretaria Especial para as Mulheres.  Os dados foram levantados por meio do número de denúncias feitas pelo telefone 180 ao longo do ano de 2012. a cidade ficou em 74ª entre 532 cidades mineiras em que houve denúncias deste tipo.


De acordo com a Coordenadora de Políticas Públicas para as Mulheres de Minas Gerais, Eliane Piola, estes números mostram dois lados de uma mesma moeda. Se analisado por um lado, os números são positivos, já que seria um sinal de que as mulheres, ou denunciantes, sabem utilizar esse mecanismo e denunciam. Mas por outro, os números revelam um alto número de mulheres agredidas. “Isso é preocupante. Por um lado demonstra o conhecimento das mulheres em buscar essa ferramenta para prestar denúncias, seja a mulher ou pessoas que usaram desse mecanismo. Nós temos que buscar uma articulação maior no município como forma de coibir essa violência, porque se de um lado há um conhecimento das mulheres em buscar o 180, do outro elas estão efetivamente sofrendo violências de toda ordem” explicou.


A coordenadora disse ainda que além das violências já conhecidas, como a física e a sexual, existe também a violência institucional, que é quando um órgão público, como as delegacias, deixam de atender as mulheres da forma adequada. “Seja violência física, sexual, ameaças, violência psicológica ou também a chamada violência institucional, que é quando algum prestador de serviço deixa de fazê-lo da forma como deve ser. Às vezes as mulheres quando comparecem a uma Delegacia de Mulheres ou em uma Delegacia comum e não são atendidas como deveriam, elas tem denunciado isso ao Governo Federal, que vem repassando ao governo de Minas para que seja tomada providências e melhorias quanto a esta ação. Então nós estamos tomando medidas, seja de denúncias contra juízes, promotores de justiça, delegados, seja quem for, que deixar de prestar um atendimento digno da forma como tem que ser prestado às mulheres em situação de violência” garantiu.


Eliane Piola disse ainda que vem buscando junto a autoridades de Divinópolis algumas formas de otimizar os trabalhos, com o objetivo de reduzir o número de mulheres agredidas em Divinópolis.

Delegacia Especializada da Mulher em Divinópolis

Recentemente a Delegacia da Mulher de Divinópolis passou a ser uma Delegacia Especializada. Na prática isso significa uma maior autonomia em relação Delegacia Regional, além de ficar mais próxima do departamento em Belo Horizonte. Essa maior autonomia representa também um grande avanço no combate a essa violência praticada contra as mulheres.


O delegado regional de Divinópolis, Fernando Vilaça, falou sobre essa mudança e explicou que apesar de continuar atrelada administrativamente à Delegacia Regional, a Delegacia da Mulher se aproxima agora da metodologia desenvolvida na capital. “Foram instaladas em algumas cidades do interior, dentre elas Divinópolis, a Delegacia Especializada da Mulher, o que significa uma autonomia maior da Delegacia da Mulher em relação à operacionalização da Delegacia. Administrativamente continua vinculada a Delegacia Regional, mas a forma de trabalho, a metodologia agora será a mesma que se desenvolve na capital” afirmou ele, que ressaltou que a delegacia especializada proporciona uma melhor resposta para a sociedade. A Delegacia Especializada da Mulher continua sob responsabilidade da Dra. Maria Gorete Rios.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.