sexta-feira, 18 de Janeiro de 2013 04:04h Atualizado em 18 de Janeiro de 2013 às 05:10h. Erik Ullysses

Divinópolis registra o segundo homicídio de 2013

Homem foi encontrado com seis perfurações pelo corpo, sendo cinco na cabeça e uma no braço esquerdo

Na manhã de ontem a Polícia Militar registrou o segundo homicídio do ano em Divinópolis. O corpo de um homem foi encontrado em uma estrada de terra que dá acesso a uma fazenda próximo ao aterro sanitário às margens da AMG-260, rodovia que liga Divinópolis ao município de Carmo do Cajuru. A vítima foi identificada como Pedro Henrique Gontijo, vulgo “Babão”, de 19 anos.
De acordo com o tenente Alves a PM foi acionada no local logo pela manhã depois de um lavrador que trabalha na região ter avistado o corpo. “A Polícia Militar foi acionada no local. Ao chegar os vizinhos disseram que um lavrador que trabalha por aqui localizou a vítima já morta e acionou a polícia. Chegamos e realmente o cadáver estava no local” disse. Ainda não existem suspeitas de quem possa ter cometido o assassinato.
Inicialmente a vítima não havia sido identificada, já que ela não estava com documentos. No decorrer da tarde a Polícia Militar informou que a vítima se tratava de Pedro Henrique, que já possuía passagens pela polícia por crimes contra pessoa (violação de domicílio) e crime contra o patrimônio (furtos, arrombamentos e danos). No corpo foram encontradas seis perfurações por arma de fogo, sendo cinco na cabeça e a outra no braço. De acordo com o perito ainda não é possível afirmar se foram seis tiros, já que pode ocorrer de uma mesma bala atravessar o corpo da vítima. Ainda foi constatado que o braço esquerdo do homem estava quebrado. Em seu braço direito ele tinha tatuado o nome “Sandra” e já na mão direita ele possuía uma tatuagem com a letra “P”.
A principal suspeita é que os autores do crime tenham levado a vítima em um carro até a estrada de terra e o executado no local. Próximo ao corpo foram encontradas várias marcas de pneus e de freadas de um veículo. “A principio pelo menos um carro  o trouxe para cá e provavelmente foi executado aqui no local” afirmou o tenente.
O tenente falou ainda sobre a dificuldade de combater crimes dessa natureza, mas ressaltou que a PM segue fazendo o seu trabalho. “Infelizmente é um crime muito complicado de controlar. A polícia militar está fazendo o máximo com as suas patrulhas e também colhemos várias informações aqui no local para facilitar a investigação e localização dos autores” disse.
Ele lembrou também sobre a importância do apoio da população para a solução desses tipos de crime. Segundo ele se alguém presenciar ou até mesmo ouvir algum barulho suspeito deve acionar a PM. Se alguém souber algo que possa levar à solução do crime deve entrar em contato com a Polícia Militar através dos telefones 190 e 181.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.