sexta-feira, 2 de Agosto de 2013 05:59h Luiz Felipe Enes

Divinópolis tem registro de 14 pessoas desaparecidas

O número de pessoas desaparecidas em Minas Gerais é alarmante. Embora a Polícia Civil esteja fazendo um trabalho minucioso em busca de desaparecidos, o número ainda é alto. No ano de 2012, 804 pessoas foram localizadas graças aos serviços de inteligência.

O número de pessoas desaparecidas em Minas Gerais é alarmante. Embora a Polícia Civil esteja fazendo um trabalho minucioso em busca de desaparecidos, o número ainda é alto. No ano de 2012, 804 pessoas foram localizadas graças aos serviços de inteligência. Sendo 487 adultos e idosos e 317 crianças e adolescentes.

Em Divinópolis, de janeiro a maio deste ano, 14 pessoas estavam desaparecidas. A faixa etária também foi divulgada na seguinte ordem:

Quantidade de pessoas desaparecidas por faixa etária:

12 a 17 anos: 3

18 a 24 anos: 2

30 a 35 anos: 4
35 a 64 anos: 2
65 ou mais anos: 3

O grande número de pessoas desaparecidas na cidade é maior entre os 30 e 35 anos. Segundo pesquisas, o perfil dessas pessoas oscila muito. Algumas hipóteses podem ser levantadas, como por exemplo, o alcoolismo, o uso demasiado de drogas também contribui para que pessoas desapareçam de casa.

E o cenário em todo o estado de Minas Gerais é o mesmo. No entanto, a faixa etária com o alto número de desaparecidos é de pessoas maiores de idade, grau escolar entre ensino fundamental e médio. Pessoas do sexo masculino ainda representam grandes números na pesquisa divulgada pela Secretaria de Defesa Social do Estado.

A maior preocupação dos órgãos de segurança se concentra nos jovens e nos idosos. Os jovens, que nessa pesquisa, oscilam dos 12 aos 17 anos, embora sejam só três, um estudo aponta que a maioria destes saiu de casa por descontentamento. As causas podem variar de desentendimento familiar, crise financeira e até mesmo aliciamento com tráfico de drogas.

As pessoas idosas desaparecidas tem em sua maioria doenças associadas ao quadro mental. A esquizofrenia e o mal de Alzheimer são algumas das enfermidades ligadas a quadros de esquecimento. Isso também se dá associado a quadros de depressão aguda, o que motiva ainda mais os idosos a saírem de casa, sem ao menos dizerem para onde estão indo. 

O Governo de Minas atualmente trabalha divulgando o número de pessoas desaparecidas, em contas de água, de energia elétrica e algumas veiculações na televisão. Em Divinópolis, quem fica a frente das investigações das pessoas desaparecidas é a Polícia Civil. O número de pessoas nesta situação na cidade caiu um pouco em relação ao mesmo período do ano passado. Na ocasião, 16 pessoas estavam desaparecidas.

O serviço investigativo da Polícia trabalha com base em informações familiares e também em pesquisas. A polícia também conta com um número de contato, o 0800 2828 197, no qual existe um canal chamado “Alerta Minas”. Qualquer pessoa pode acionar e não há necessidade de identificação.
Num mural na delegacia de Polícia Civil de Divinópolis, está afixado também um cartaz, que divulga dados dos desaparecidos. Mateus Henrique de Souza, por exemplo, desapareceu no dia 16/02/2013, na cidade. Qualquer informação sobre esse jovem pode ser dada no 0800 acima mencionado, ou diretamente na Delegacia de Polícia.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.