quinta-feira, 7 de Janeiro de 2016 08:50h Atualizado em 7 de Janeiro de 2016 às 08:52h. Jotha Lee

Divinópolis teve ano violento com aumento de estupros, homicídios e roubos

Assassinatos cresceram mais de 52% no ano passado na comparação com 2014

Em novembro do ano passado, a cabeleireira Aparecida de Assis Gonçalves, 36 anos, que trabalha em sua própria residência no Bairro Nações, seguiu viagem com seus dois filhos para passar um fim de semana com parentes em Abaeté, sua terra natal. Ao retornar quatro dias depois, encontrou a porta dos fundos arrombada e a residência toda revirada. “Foi desesperador encontrar minha casa toda revirada. Me senti humilhada ao verificar que os ladrões levaram até meus equipamentos de trabalho”, desabafa. Os arrombadores levaram da residência dois secadores de cabelo, utilizados no trabalho diário de Aparecida, uma TV 32 polegadas, um ventilador e alguns vidros de perfumes. “Nem fiz ocorrência, porque não adianta”, lamentou.
Aparecida, assim como muitos divinopolitanos que desistem de fazer ocorrência em situações semelhantes já que raramente o material é recuperado, não entrou na estatística da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), que mostra que de janeiro a novembro do ano passado foram registrados em Divinópolis 1.827 roubos, contra 1.541 no mesmo período de 2014, aumento de 18,55%.
Em setembro do ano passado, Gustavo Henrique Souza e Silva, 23 anos, foi morto a tiros em pleno Centro da cidade. Na companhia da namorada e de um amigo, ele se encontrava na Rua Paraíba esquina com 21 de Abril, quando um homem encapuzado desceu de um veículo e efetuou vários disparos. O crime ainda não foi solucionado e a Polícia trabalha com um possível acerto de contas por envolvimento com o tráfico de drogas, mesmo destino de outros jovens que engrossaram a estatística do ano passado, que mostrou o vertiginoso crescimento no número de homicídios na cidade. 
Gustavo Henrique faz parte dessa estatística oficial da Secretaria de Desenvolvimento
Social, que mostra que de janeiro a novembro do ano passado, 29 pessoas foram assassinadas em Divinópolis, enquanto no mesmo período de 2014 foram 19 homicídios. O levantamento mostra o assustador crescimento no número de homicídios, que subiu 52,63% em 11 meses no ano passado, comparando-se com igual período de 2014. Esse percentual deve aumentar ainda mais, já que a estatística de dezembro só será divulgada daqui a 10 dias.

 

TRÂNSITO
Além dos homicídios e roubos, o aumento de ocorrências em outros crimes também reflete a violência que atingiu Divinópolis em 2015. De janeiro a novembro de 2014, cinco mulheres registraram ocorrência por estupro. Número que subiu para sete registros no ano passado, aumento de 40%. Mais assustador ainda foi o crescimento do número de menores vítimas do mesmo crime. Segundo os dados da Seds, em 2014, 15 menores foram estuprados, número que subiu para 23 no ano passado, aumento de 46,66%.
No trânsito, embora a estatística mostre queda no registro de acidentes, 2016 começou com duas mortes na cidade. Uma criança de nove anos e uma adolescente de 15 da mesma família, morreram após o choque de um carro com um ônibus do transporte coletivo no Bairro Liberdade, na segunda-feira passada. O brutal acidente, que deixou o carro em que as vítimas se encontravam praticamente destruído, entrará nas estatísticas do primeiro mês do ano. Entretanto, em 2015, o trânsito foi menos violento na cidade, conforme mostra o levantamento da Sedes. De janeiro a novembro foram registrados 3.125 acidentes de trânsito, contra 3.184 no mesmo período de 2014, redução de 1,85%.
 

 

Veja o comparativo da violência em Divinópolis nos dois últimos anos

CLASSIFICAÇÃO 2014 2015 VARIAÇÃO
Estupro consumado 5 7 40%
Estupro de menores 15 23 46,66%
Homicídio 19 29 52,63%
Roubos 1.541 1.827 18,55%
Acidentes de Trânsito 3.184 3.125 -1,85%
Fonte: Seds

 

Créditos: Reprodução WhatsApp

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.