sexta-feira, 12 de Agosto de 2011 09:49h Natalia Santos

Dono da Ricardo Eletro é condenado a três anos de prisão

A Justiça Federal condenou o empresário Ricardo Nunes, sócio da Máquina de Vendas (fusão entre Ricardo Eletro e Insinuante), a três anos e quatro meses de prisão por corrupção ativa. Nunes, segundo denúncia da Procuradoria da República, teria pago propina a um auditor fiscal da Receita para que a Ricardo Eletro não fosse autuada.

A sentença foi dada em junho pelo juiz Hélio Egydio Nogueira, da 9.ª Vara Federal Criminal de São Paulo. A defesa de Nunes, que está em liberdade, anunciou na segunda-feira que já recorreu ao Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF3). "Ricardo é inocente. É a nossa preocupação demonstrar a inocência dele no processo", disse o advogado Cristiano Maronna que, em parceria com o criminalista Nélio Machado, defende o empresário.

A ação corre sob segredo de Justiça. A base do processo foi a prisão em flagrante do auditor Einar de Albuquerque Pismel Júnior, em setembro de 2010 - agentes da Polícia Federal o detiveram com a posse de 50 mil reais e mais 4 mil dólares em dinheiro vivo quando se retirava do escritório da Ricardo Eletro, em Indianópolis, zona sul de São Paulo. Condenado a quatro anos de prisão por corrupção passiva, Einar continua detido por causa do flagrante. A investigação revela que a Ricardo Eletro foi alvo de fiscalização da Receita entre junho e agosto de 2008. Durante quase três meses, os balanços e livros da empresa foram pesquisados. Para não ser autuado, Nunes teria combinado o pagamento da propina para o auditor.

O Ministério Público Federal apurou que Einar teria omitido bens em suas declarações de Imposto de Renda. A PF chegou ao auditor por meio de interceptação telefônica, autorizada judicialmente. Segundo a sentença, em 14 de setembro o grampo identificou ligação entre o empresário e o fiscal. Eles acertaram a entrega de documentos na sede da Ricardo Eletro. Durante busca na residência do auditor, a PF apreendeu 109 mil reais e quase 50 mil dólares.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.