segunda-feira, 13 de Agosto de 2012 14:04h Gazeta do Oeste

Ex-médico condenado por mortes de pacientes é preso no RN

 O ex-médico paulista Marcelo Caron, acusado de fazer cirurgias plásticas que levaram pacientes à morte, está preso em um centro de detenção provisória em Natal (RN). Ele foi abordado na noite de sábado (11) durante fiscalização da Polícia Rodoviária Federal, na BR-101.

Agentes constataram que havia um mandado de prisão preventiva contra Caron, que foi condenado em fevereiro deste ano a cinco anos de prisão por lesão corporal grave, em Goiás.

Segundo o Tribunal de Justiça de Goiás, uma paciente ficou com deformidades permanentes depois de passar por duas cirurgias feitas por ele.

Ainda segundo o tribunal, ele responde a outros 29 processos no Estado e sofreu condenações por homicídio e estelionato, entre outros crimes.

No Distrito Federal, Caron foi condenado em 2009 a 30 anos de prisão pela morte de duas pacientes. Em 2005, teve o registro de médico cassado pelo Conselho Federal de Medicina.

Caron está em uma cela com outros 19 presos, segundo o diretor de triagem do Centro de Detenção Provisória de Pirangi, Rondinelle dos Santos. Ele deve ser transferido para Goiás, mas ainda não há previsão de quando isso ocorrerá.

OUTRO LADO

O advogado Ricardo Angelo da Silva, que defende Marcelo Caron, disse que o mandado de prisão é "arbitrário", porque a sentença do caso determinou que o cliente cumpra a pena em regime semiaberto.

Segundo ele, Caron não tinha conhecimento do mandado e poderia ser encontrado pela Justiça, pois tem residência fixa.

O ex-médico agora vive nas cidades de Natal e Pipa, estuda direito e ministra palestras motivacionais, segundo seu advogado.

"É uma pessoa que não está se escondendo da Justiça e não é criminosa. É uma pessoa que errou na profissão e está disposta a pagar pelo erro, mas de forma correta", disse Silva, que pedirá à Justiça de Goiás a anulação da prisão.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.