quarta-feira, 31 de Outubro de 2012 08:27h Erik Ulysses

Falta de médicos legistas unifica trabalhos dos IML’s de Divinópolis e Formiga

A falta de médicos legistas fez com que a Delegacia de Divinópolis trabalhasse conjuntamente com a Delegacia regional da cidade de Formiga para que as perícias continuassem sendo realizadas sem maiores transtornos.  Assim para que o Instituto Médico Legal de Divinópolis (IML) não opere de forma sobrecarregada as perícias são revezadas entre as duas cidades, sendo feitas cada dia em uma delas.

 


O delegado regional de Divinópolis, Fernando Vilaça, explicou que essa situação ocorre devido a aposentadoria de um dos médicos legistas e a licença maternidade de outra médica. “Nós tínhamos quatro, o ideal são cinco. Mas com quatro a gente conseguia funcionar. Aposentou um e a outra médica legista entrou em licença maternidade, inviabilizando o trabalho dos médicos legistas aqui em Divinópolis” afirmou o delegado.
A solução encontrada para resolver o problema foi a unificação entre as duas unidades, uma vez que Formiga também tem o quadro de legistas reduzido. “Em razão da aposentadoria do médico legista em Divinópolis, e da licença maternidade de uma medica legista, estamos apenas com dois médicos. Em razão disso foi necessário fazer a unificação do plantão com a Delegacia regional de Formiga, que também dispõe de poucos médicos legistas. Então, quando o plantão ocorre em Divinópolis, se houver a necessidade de uma perícia em Formiga tem que deslocar para cá e vice e versa” contou.

 


Segundo Fernando Vilaça o ideal para Divinópolis seria ter cinco médicos legistas trabalhando na Delegacia da cidade. Ele disse que o problema da falta de médicos legistas deverá ser solucionado já no início do ano que vem, uma vez que será lançado o edital de um concurso para preencher essas vagas e também em outros setores. “Existe a previsão de concurso para o mês de janeiro, quando deve ser publicado o edital do concurso, para que sejam contratados novos médicos legistas” falou.

 


No que se refere ao estado das instalações do IML e dos equipamentos necessários para o seu funcionamento o delegado afirmou que não existem problemas.

 


No que se refere ao estado das instalações do IML da cidade o delegado afirmou que não existem problemas e que os equipamentos necessários para o seu funcionamento, como as câmeras frias, estão em boas condições. A única questão ressaltada por ele é a iluminação para a parte da noite, pois os equipamentos de iluminação não são adequados para a noite. 

 

“O nosso IML a deficiência dele é apenas em relação à iluminação. Não se pode fazer o exame a noite porque o equipamento de iluminação não é o adequado. Agora tem que se olhar o seguinte: essa pericia feita a noite a gente faz mais no vivo, porque no morto também tem que se aguardar o prazo estipulado por lei” concluiu. Ele disse ainda que essa situação dos equipamentos de iluminação noturna é um problema comum em cidades do interior, não sendo uma questão especifica de Divinópolis.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.