terça-feira, 16 de Outubro de 2012 10:18h Gazeta do Oeste

Familiares e amigos de atriz assassinada fazem ato contra a violência em BH

Centenas de pessoas se reuniram na noite desta segunda-feira na Praça Floriano Peixoto, no Bairro Santa Efigênia, Região Leste de BH, para fazer um ato de repúdio à violência e um protesto contra a morte da atriz e artista plástica Cecília Bizzotto, a Ciça, de 32 anos, assassinada durante um assalto no Bairro Santa Lúcia, Região Centro-Sul da capital. Com balões, camisas brancas e velas, alunos da mulher fizeram várias apresentações.

 

Em um dos atos, os jovens sujaram as mãos com tinta vermelha, que simbolizou a violência, e depois se abraçaram. “O abraço foi um ato simbólico para darmos força uns aos outros pela morte da professora. Todos os alunos estão chocados. Estamos expressando a falta que ela faz”, diz a aluna Glayciene Renata , 19 anos.

 

Entre as pessoas presentes na manifestação estava Nilmário Miranda, ex-secretário de Direitos Humanos, que também mostrou sua insatisfação com a violência em Belo Horizonte. Ele trabalhou com a atriz na campanha de Patrus Ananias que concorreu à prefeitura da capital. “Vejo anunciado um grito para o basta pela violência. A cultura do direitos humanos é pela paz, pela busca da solução pacífica e é contra a impunidade. Não existe direitos humanos se não existe dignidade”, afirmou.

 


Uma pomba branca foi solta durante encenação, simbolizando um pedido de paz
A tia da estudante Bárbara Quaresma Andrade Neves, de 22 anos, que foi assassinada em maio deste ano durante um assalto no Bairro Cidade Nova, Região Nordeste de Belo Horizonte, também foi prestar solidariedade à família da atriz. “Tem quatro meses que minha sobrinha morreu e que duas pessoas foram presas, mas uma não. Eu não conhecida a família dela, e nem a moça, mas conheço o sentimento de perda. Isso sempre se repete. Mas até quando vai fazer parte do nosso cotidiano?”, desabafou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.