quarta-feira, 20 de Agosto de 2014 10:35h Atualizado em 20 de Agosto de 2014 às 10:37h. Aaron Oliveira

Filha faz apelo na internet para encontrar pai desaparecido

João Silvano da Silva tem problemas de depressão e alcoolismo

Gabriela Sara Silva, uma jovem de 15 anos, começou uma luta a procura de seu pai, que está desaparecido, e usou a internet para divulgar o sumiço dele. Gabriela é filha de João Silvano da Silva, de 48 anos, que é morador de Divinópolis. João trabalha como vendedor, rifeiro.  Ele foi a Goiás para trabalhar e não foi mais visto pelos companheiros de trabalho, estando desaparecido há dez dias.
João Silvano da Silva estava trabalhando na cidade de Novo Gama, Goiás, e foi visto pela última vez no Bairro Pedregal.  O ponto de encontro com seus companheiros de serviço seria em frente ao banco Itaú, no domingo ( 10/8), mas ele não  apareceu. João tem problemas alcoólicos e depressão, mas este tipo de situação nunca chegou a acontecer, ele nunca sumiu sem dar notícia sobre seu paradeiro.
Gabriela, sua filha, ao receber a notícia que ele havia desaparecido, começou a divulgar a foto de seu pai, com algumas informações sobre o mesmo, tentando encontrá-lo com a ajuda da rede social, Facebook, na qual pediu que as pessoas compartilhassem e a ajudassem. “Os sites de jornal, as rádios, me ajudam bastante a divulgar, agora a delegacia e a prefeitura não colabora com nada, não me ajuda com nada.”
Sem ajuda das autoridades
Segundo ela, entrou em contato com a delegacia de Novo Gama, mas eles não davam resposta. “A delegacia não colabora com nada, não quiseram nem fazer a queixa, nós só conseguimos registrar a queixa quatro dias depois”, explica Gabriela. Ela disse que a delegacia se negou a fazer a queixa, pois disseram que esta situação era normal de acontecer, no caso do pai dela, e que não precisava se preocupar, porque ele iria aparecer.
Indignação é a palavra que ela usa para descrever o que esta passando - sobre os policiais não terem prestado nenhuma ajuda para encontrar o seu pai, por ele não ser de Goiás e ter seus problemas com alcoolismo. “Eu fico muito indignada, pois se ele estivesse roubando eles estariam atrás dele. Agora, como ele bebeu e sumiu, é normal. Eles não fazem nada”, ressalta a jovem. Uma pequena mobilização feita pela polícia, uma busca pela cidade, e eles encontrariam João, acabando, assim, com essa angústia.
Já os hospitais da cidade responderam Gabriela pela internet, dizendo que vão ficar atentos e que qualquer informação sobre alguém parecido com ele ou se ele realmente aparecer entraram em contato com a família.

 

 

 

A ajuda veio da internet
Seu apelo foi atendido e seus compartilhamentos na internet chegaram até a imprensa que esta ajudando Gabriela a encontrar seu pai. Ela entrou em contanto com a prefeitura também, por email, que respondeu que veriam com o supervisor se poderia ser divulgado alguma coisa sobre o assunto, mas nada foi feito. Somente depois que a matéria dela saiu na internet eles começaram ajudar, segundo Gabriela. “A delegacia curti o que eu publico, parece que eles estão me olhando muito, bastante, porque eles curtem tudo, mas não tenho retorno. Se eu ligo lá eles falam que o que podia fazer já foi feito.”
Um tio de Gabriela vai para Novo Gama para ver se encontra o irmão, ela conta que o custo é elevado. Para ir até Goiás fica em torno de R$ 500 de gasolina, e pra sua família não é pouco, pois passam por uma situação financeira ruim. Ela ainda ressalta que a mãe dela e a avó paterna já estão idosas e não conseguem fazer muito.  O que elas poderiam fazer era divulgar na internet, pedir ajuda e conversar com os policiais.
A maior preocupação da família é de João estar em outro estado, pois Novo Gama fica na divisa com Brasília, e se ele passar a rodovia já esta lá. Isso dificultaria ainda mais a localização de João Silvano da Silva. Caso alguém tenha alguma informação sobre João, ou queira ajudar a família a encontrá-lo, os telefones de contato são: 037 8806-6045, 037 3214-7336, 61 9863-8158, 037 9103-6940.

 

 


Créditos: Arquivo pessoal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.