quinta-feira, 2 de Agosto de 2012 16:00h Gazeta do Oeste

Funcionária é afastada durante investigações sobre queimadura em bebê de 11 meses

Uma funcionária do Centro de Educação Infantil (CEI) foi afastada do trabalho enquanto a Polícia Civil de Poços de Caldas, no Sul de Minas, investiga o caso de um bebê de 11 meses que teve queimadura em uma das pernas. A mãe da criança Marcilene Aparecida Franco, alega que os ferimentos foram causados na creche durante um banho com água quente, mas a funcionária que cuidava do menino, nega ter queimado a criança.

De acordo com a secretária de educação da cidade, Maria Helena Braga, a funcionária está muito abalada com caso, por isso ficará afastada até a divulgação do resultado definitivo do laudo sobre o ferimento no bebê. “Ela está afastada por condições emocionais. Ela disse que não machucou a criança” afirma. Braga disse que está consternada com a situação porque a empregada nunca teve problemas. “Ela é mãe de quatro filhos, uma funcionária de muitos anos, inclusive o bebê dela de 11 meses dela fica na creche”, conta. 

Conforme a Polícia Militar (PM), as versões dadas pela mãe divergem da apresentada pela funcionária. A mãe da criança disse que deixou o filho na escola sem nenhum ferimento. Por volta das 14h, a funcionária informou que percebeu a queimadura na perna quando foi dar banho no bebê. Havia bolhas que, segundo a funcionária, estouraram após o banho.

Ela contou que repassou o caso para a diretora do local. Os empregados teriam tentado contato com Marcilene, porém, sem sucesso. No momento em que a tia da criança chegou ao berçário para levá-lo para casa, relatou a situação para mãe e levou o garoto para uma policlínica. Devido à gravidade dos ferimentos, o bebê precisou ser transferido para a Santa Casa da cidade. Ele está em observação na unidade de saúde, mas passa bem. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.