segunda-feira, 9 de Junho de 2014 11:47h

Governador afirma que forças de segurança de Minas estão preparadas para atuar na Copa do Mundo

Durante solenidade de aniversário de 239 anos da Polícia Militar, Alberto garantiu que o Estado não se descuidará do policiamento nas demais regiões durante o evento

Ao participar, nesta segunda-feira (09/06), em Belo Horizonte, da solenidade oficial de aniversário de 239 anos da Polícia Militar, o governador Alberto Pinto Coelho afirmou que as forças de segurança de Minas Gerais estão preparadas para atuar, dentro de um esforço conjunto com as instituições municipais e federais, para garantir a segurança de mineiros e turistas durante a realização da Copa do Mundo no Brasil, da qual a capital mineira é uma das 12 cidades-sede.

O governador de Minas disse ainda que o aparato policial destinado à cobertura do Mundial não irá comprometer a segurança no restante do Estado. “É importante ressaltar o trabalho desenvolvido aqui em Minas Gerais para acolher esse grande evento. Para isso, não faltaram esforços conjugados nas esferas de governo, entre as nossas polícias Militar e Civil e o Corpo de Bombeiros. Teremos milhares de militares dedicados a essa atividade sem nos descuidarmos da ação policial no restante do Estado. Eles estão qualificados e preparados para, certamente, fazer com que tenhamos uma Copa do Mundo da qual possamos nos orgulhar, recebendo bem a seleções, os turistas estrangeiros e os brasileiros que para aqui venham assistir os jogos”, afirmou.

Qualificação e tecnologia

Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social, um efetivo de cerca de 60 mil policiais militares, civis e bombeiros estará empenhado na segurança dos cidadãos mineiros e dos visitantes. Na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde haverá maior concentração de turistas e torcedores, atuarão mais de 17 mil profissionais.

Minas investiu também na qualificação dos profissionais. Ao todo, 6.572 capacitações na área de segurança já foram realizadas. Foi criado um Grupo de Proteção Pública, que envolve os órgãos de segurança estaduais, municipais e federais, para coordenar as ações. Em determinadas delegacias da Polícia Civil haverá registro de ocorrência em formulários em diversas línguas.

Entre os equipamentos tecnológicos que serão utilizados pela Polícia Militar durante a Copa estão imageadores aéreos, plataforma de observação elevada, Centro de Comando e Controle Móvel e robô antibombas. Uma delegacia-móvel montada em um ônibus devidamente equipado será usada para reforçar a atuação da Polícia Civil.

Desfile e medalha

Durante a cerimônia de comemoração do aniversário da Polícia Militar, houve desfile do batalhão especial destacado para atuar na Copa do Mundo. Alberto Pinto Coelho recebeu uma bola de um representante da quinta geração de uma família de policiais militares. Houve ainda uma apresentação, alusiva ao evento esportivo, realizada por filhos de policiais. Como parte das festividades, o governador de Minas participou ainda da entrega da medalha Alferes Tiradentes. Criada em 1989, a Medalha é a mais alta comenda da Polícia Militar.

Em seu pronunciamento, o governador ressaltou a necessidade de um pacto nacional para tratar da questão da segurança pública. Ele lembrou que Minas Gerais é o estado brasileiro que mais investe proporcionalmente ao seu orçamento na área de segurança pública. “Com esses investimentos procuramos corresponder aos anseios de mais de 20 milhões de mineiros e mineiras, com o aprimoramento permanente das forças policiais, quer seja com relação aos contingentes ou ao aparato policial indispensável para o exercício dessa nobre missão. Com isso, buscamos enfrentar esse desafio, que não é só de Minas, e que tem que ter um enfrentamento através de um pacto nacional, reunindo as esferas de governo para fazer face a essa importante demanda que se coloca diante de nós”, completou.

Cidadania e paz social

O comandante-geral da PM, coronel Márcio Martins Sant’Ana, ressaltou que o perfil do militar mudou ao longo de mais de 200 anos de atuação, sendo focado na cidadania e na paz social. “Ao completar 239 anos, a corporação de Tiradentes se vê em uma sociedade diferente daquela em que foi criada. Assentada sobre os princípios da cidadania, dos direitos humanos e da interlocução com a comunidade, nossa instituição amadureceu, atualizou seus propósitos e, hoje, realiza um trabalho totalmente focado no cidadão e na promoção da paz social. Talvez poucas instituições públicas sejam tão próximas das pessoas como o é a Polícia Militar”, afirmou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.