segunda-feira, 26 de Janeiro de 2015 11:21h Da Agência Lusa

Governo do Haiti recorre à ONU para manter tropas no país durante eleições

O governo do Haiti recorreu ontem (25) ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) pedindo para não diminuir o contingente de soldados que mantém no país às vésperas das eleições presidenciais

O ministro da Justiça e da Segurança Pública haitiano, Pierre Richard Casimir, fez o pedido durante visita de enviados do Conselho de Segurança da ONU à única academia de polícia do país.

“Insisto com o Conselho de Segurança para não reduzir o número de soldados da Minustah [Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti] enquanto durar o processo eleitoral”, disse Pierre Casimir. Ele ressaltou que a presença das tropas é necessária para os preparativos e realização de eleições. Os haitianos aguardam há três anos pelas eleições presidenciais no país.

O presidente do Haiti, Michel Martelly, e aproximadamente 20 dirigentes políticos assinaram, em 11 de janeiro, um acordo prevendo as eleições antes do fim do ano. “No Haiti, o período eleitoral normalmente é marcado pela tensão e discórdia”, afirmou o recém-nomeado ministro da Justiça e da Segurança Pública. Casimir destacou que o governo haitiano adotou medidas para garantir que as eleições ocorram com tranquilidade. Para justificar o pedido, o ministro citou a Resolução 2.180 do Conselho de Segurança da ONU, que estimula as Nações Unidas a adaptar a presença de soldados à situação local. "Em nome do presidente, do chefe de Governo e em meu próprio, reitero às Nações Unidas o pedido para que mantenha os efetivos”, acrescentou Pierre Casimir.

Para Christian Barros Mele, enviado da ONU ao Hiaiti, ainda é cedo para tomar decisões a respeito.

Embaixadora norte-americana na ONU, Samantha Power informou que a polícia nacional haitiana tem melhorado o desempenho, apontando que “representa o futuro da segurança no Haiti”.

Os enviados do Conselho de Segurança da ONU encerraram ontem visita de dois dias ao país.

Em outubro, o conselho renovou o mandato da Minustah por um ano, mas reduziu sua presença à metade, por considerar que houve melhoria nas condições de segurança no país. O contingente de soldados da ONU caiu para 2,37 mil, mas o de policiais (2,6 mil) não foi alterado.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.