sexta-feira, 5 de Junho de 2015 10:48h Marli Moreira – Repórter da Agência Brasil

Governo paulista reforça Disque-Denúncia para combate à violência no futebol

Completou hoje (5) uma semana de funcionamento do novo serviço do governo paulista de combate a agressões entre torcedores rivais de futebol e outros crimes como furtos de caixas eletrônicos com uso de explosivos e incêndios a ônibus

Trata-se de uma reformulação no atendimento do Disque-Denúncia 181, criado no ano de 2000.

Por meio desse serviço, implantado em parceria com o Instituto São Paulo Contra a Violência e a Secretaria da Segurança Pública, um grupo de atendentes recebeu treinamento específico para lidar com essas questões e indagar, de forma apropriada, o cidadão que liga para fazer alguma denúncia.

Em nota, o secretário de Segurança Pública do estado, Alexandre de Moraes, assinalou que esse novo tipo de atendimento “vai canalizar as informações, ampliando muito a eficácia das investigações, já que os fatos serão passados mais rapidamente ao Ministério Público, polícias e demais órgãos envolvidos”.

A medida surgiu após uma reunião entre a secretaria de Segurança, o Tribunal de Justiça (TJ), o Ministério Público (MP) e a Federação Paulista de Futebol (FPF), no último dia 18 de maio, que definiu ações contra a criminalidade nessa área. Além do Disque-Denúncia, outras medidas para coibir a violência foram adotadas.

Na sexta-feira (26) da semana passada, por exemplo, começou a funcionar o Anexo de Defesa do Torcedor, no Fórum Criminal da Barra Funda, zona oeste da capital paulista. Nessa unidade, foi criada uma vara para atender ocorrências ligadas à violência em estádios ou envolvendo o futebol. O juizado conta com apoio de uma estrutura policial que inclui delegacia móvel nos dias dos eventos esportivos de grande porte.

No último domingo (31) a delegacia móvel funcionou durante o jogo entre Corinthians e Palmeiras, na Arena Corinthians, em Itaquera, na zona leste da cidade de São Paulo. No local foi estacionado um ônibus com delegacia móvel do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (Decade). Ao longo do clássico, nove pessoas foram detidas, das quais cinco eram cambistas e um torcedor. Lá mesmo, os detidos foram julgados e condenados a cumprir três meses de trabalho no Instituto Médico Legal (IML) e no Corpo de Bombeiros.

Entre as atribuições do tribunal está a fiscalização do cumprimento das penas alternativas aos torcedores que estão impedidos de irem aos estádios. Algumas pessoas identificadas participando de brigas de torcidas têm de se apresentar à delegacia duas horas antes dos jogos e permanecer ali até duas horas depois da partida. Agora, essas pessoas terão de prestar serviços comunitários por seis horas, também durante os jogos, em locais estabelecidos pela Justiça.

A Secretaria de Segurança Pública ainda não divulgou um balanço dos atendimentos feitos pelo Disque-Denúncia, após a adoção da nova estratégia. O serviço foi criado em 2000 e já recebeu cerca de 1,7 milhão de ligações sobre tráfico de drogas, homicídios, latrocínios, sequestros, roubos e furtos em geral. O serviço funciona 24 horas, todos os dias.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.