sábado, 1 de Dezembro de 2012 04:48h Gazeta do Oeste

História de república revela apologia ao consumo de álcool

Uma pesquisa rápida na internet revela parte da história da República Federal Saudade da Mamãe, onde morreu o estudante Pedro Vieira, em circunstâncias ainda investigadas pela Polícia Civil, e revela muito do cotidiano de excessos que os estudantes de Ouro Preto vivem. Na rede, textos, fotos e vídeos fazem apologia ao consumo de bebidas e outras substâncias.

No site da república, por exemplo, ao contarem a história da comunidade, que existe desde outubro de 1976 e se instalou em um imóvel da Ufop em 1985, invadido por um grupo de universitários, os moradores fazem questão de lembrar que são ótimos organizadores de festas, que têm um bloco carnavalesco de muito sucesso, o Bloco Mesclado, e que suas festas “são comemoradas com muita cerveja e ‘milongas’”.

As fotos do mural da república exibem muitos moradores e ex-moradores com copos de bebida nas mãos, além de cenas de um jogo de futebol disputado na lama, em que, é claro, grandes garrafas PET de refrigerante, os conhecidos “tubões”, turbinados com bebidas alcoólicas, são presença constante. Mesas e cadeiras de uma marca de cerveja fazem parte do mobiliário da república.

Mas é no YouTube que os moradores da Saudade da Mamãe ficam mais à vontade. Em um vídeo postado em agosto de 2010, que retrata a eleição da Miss Bixo e a apresentação dos "bixos" (calouros) Bulin e Recruta, as imagens são sempre de jovens consumindo aguardente e outras bebidas alcoólicas. São 6m44s de gravação e as palavras de incentivo para que todos bebam mais, em especial os dois calouros, são ouvidas o tempo todo.

O vídeo tem duas continuações, uma com 5m14s e outra com 4m20s. O resultado do consumo exagerado pode ser visto na última parte, na qual estudantes completamente embriagados e com copos cheios de cachaça fazem brindes com a voz alterada, antes de recomeçar a bebedeira.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.