terça-feira, 30 de Junho de 2015 09:42h Atualizado em 30 de Junho de 2015 às 09:47h.

Homem com prisão domiciliar e a esposa são detidos com notas falsas

O casal passava notas falsas no comércio e usava o filho, de apenas três meses, para não distrair as vendedoras

Após uma semana de investigação, a Polícia Militar (PM) de Cláudio prendeu um casal suspeito de passar notas falsas de R$ 100 no comércio da cidade. Em apenas um comércio, foram despejados cerca de R$ 800 em notas falsas.
De acordo com a PM, as investigações apontaram que um homem, que é ex-detento e deveria estar cumprindo prisão domiciliar, era quem fornecia as notas falsas para a amásia repassar no comércio da cidade.
A mulher, segundo a PM, entrava no comércio com o filho de três meses no colo para distrair as funcionárias, que não prestavam atenção ao receber as notas falsas. “Uma mulher com criança no colo dificilmente seria abordada pela PM, pois passaria despercebida, não fosse a atenção do serviço de inteligência da 139ª Cia PM e o apoio da comunidade, que sempre está repassando informações e ainda apoiando a PM”, ressalta a Polícia Militar.
Os policiais militares prenderam o casal logo após mais uma ação. De acordo com a PM, a mulher entrou em uma loja, no Centro da cidade, e passou uma nota falsa para o pagamento das compras. Logo em seguida, ela foi abordada com a criança no colo e, com ela, os policiais encontraram uma nota de R$ 100 falsa.
Logo após a prisão dela, os policiais rastrearam e conseguiram localizar o homem, no bairro Santa Cruz. Com ele, também foi encontrado uma cédula de R$ 100 falsa. O casal foi preso e encaminhado para a Delegacia da Polícia Federal em Divinópolis. As investigações, segundo a PM, irão continuar para saber onde está o espelho que formata as notas e se este espelho está em Cláudio e, ainda, se existem mais pessoas distribuindo notas falsas.

 

Crédito: Divulgação PM

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.