sexta-feira, 7 de Agosto de 2015 10:30h Atualizado em 7 de Agosto de 2015 às 10:35h. Pollyanna Martins

Homem tem surto psicótico e mantém esposa e filha em cárcere privado

Homem soltou a família, mas permaneceu no telhado da casa. Negociação com a Polícia Militar durou três horas

Um homem, de 49 anos, teve um surto psicótico na manhã de ontem, no bairro Realengo e manteve a esposa e filha em cárcere privado por algumas horas. De acordo com a Polícia Militar, houve uma denúncia de que um indivíduo que havia brigado com a esposa e estava se comportando de forma agressiva. Os policiais chegaram ao local por volta das 8h, e se depararam com o homem bastante alterado. Ele chegou a jogar pedras nas viaturas e nos militares que atenderam a ocorrência.
Segundo o Tenente Wendel Teixeira dos Santos Inácio, o homem subiu para a laje do imóvel, onde as negociações começaram e duraram três horas. Conforme o Tenente, a esposa relatou que o homem faz tratamento psiquiátrico e uso de remédio controlado, mas recentemente não estava fazendo o controle indicado. Na ocorrência conta que o homem ameaçou a família com uma picareta, e só soltou mãe e filha após a chegada da PM. “Um familiar viu a situação, tentou negociar com ele, mas viu que a situação estava difícil de ser contornada e acionou a Polícia Militar. No início, a esposa estava em casa, e ele foi um pouco resistente em deixá-la sair, mas acabou saindo sem ser necessário usar a força. A filha dele também saiu com a mãe, e ele ficou em negociação sozinho com a PM”, detalha.
Durante toda a negociação, o homem permaneceu no telhado da casa. O tenente conta que durante a conversa com o psicólogo, o indivíduo não sabia exatamente o que estava pedindo, o que dificultou a intermediação. “Foi prometido para ele que seria mantida a integridade física dele, como foi. Foi prometido que depois que ele se entregasse, ele teria acesso à família dele, mas ele não exigiu nada muito claro. Ele estava com o pensamento meio confuso, ora pedia uma coisa, ora pedia outra, o que dificultou um pouco a negociação”, explica.
O homem se rendeu pouco depois das 11h, foi preciso usar uma pistola elétrica, efetuar um disparo de bala de borracha para imobilizá-lo. O indivíduo foi encaminhado para o Serviço de Referência em Saúde Mental (Sersam) para receber atendimento psiquiátrico.

 

Credito: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.