quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2016 11:28h Polícia Civil

Homicídio de líder da Ocupação Vitória é desvendado pela Polícia Civil em BH

O conflito entre uma das lideranças da Ocupação Vitória, Ricardo Freitas Miranda, de 36 anos, e um homem apontado como gerente do tráfico de drogas no local

O conflito entre uma das lideranças da Ocupação Vitória, Ricardo Freitas Miranda, de 36 anos, e um homem apontado como gerente do tráfico de drogas no local, Bruno Rodrigues Pereira, de 23, está sendo apontado pela Polícia Civil como motivação para um crime banal.  

Investigações apontam que Ricardo foi executado a tiros, na noite do dia 22 de novembro do ano passado, no bairro Granjas Werneck, na capital. Uma pessoa que acompanhava Ricardo no momento da ação também ficou ferida.

 

 

De acordo com levantamentos, as constantes intervenções de Ricardo sobre a comercialização de drogas no local estaria desagradando Bruno, responsável por gerenciar o comércio de entorpecentes na região. A rivalidade entre vítima e suspeito teria começado depois que Ricardo chamou a atenção de um adolescente que vendia drogas na porta da Associação de Moradores da Ocupação. O jovem pertencia ao esquema criminoso articulado por Bruno. A polícia apurou que o suspeito reunia adolescentes no local para vender a droga por ele repassada, visando dominar o tráfico de entorpecentes no local.

 

 

No dia do crime, Ricardo, acompanhado de um amigo, estava chegando de carro na Ocupação quando se deparou com um grupo, composto por Bruno e outros adolescentes. Como na entrada do local existe uma barricada montada pelos moradores, a vítima parou o veículo neste ponto e, em tom de brincadeira, perguntou se o grupo estava ali para cobrar pedágio.

 

 

Irritados com a pergunta, os jovens iniciaram uma série de disparos de arma de fogo contra a vítima, que chegou a ser socorrida, porém não resistiu aos ferimentos. Durante ação criminosa, o amigo de Ricardo também foi atingido na cabeça, mas sobreviveu.

 

 

 

O delegado que coordenou as investigações, Sérgio Paranhos, ressaltou a periculosidade de Bruno, que é temido por moradores da Ocupação. Ele é investigado por outros dois assassinatos e duas tentativas de homicídio cometidos na região.

Bruno foi preso pela equipe de policiais civis, no dia 8 de fevereiro deste ano, durante o carnaval, em Bom Jesus do Galho, região do Vale do Rio Doce. Ele tinha viajado para a cidade, onde passaria o feriado na casa de parentes de comparsas.

“A prisão de Bruno revela a importância de combater as constantes tentativas de criminosos em tomarem à força a liderança da Ocupação, implantando o terror junto aos moradores”, destacou o delegado Luiz Flávio Cortat.



Caso Bahia

Na tarde do dia 31 de março, no bairro Zilah Spósito, em Belo Horizonte, outro crime assustou os moradores do local. O líder da Ocupação Vitória à época, Manoel Ramos de Souza (conhecido como Bahia), de 40 anos, foi agredido e morto com golpes de machado, martelo e machadinha. Manoel foi assassinado após requisitar o lote onde uma das assentadas não estabeleceu moradia. A intenção era ceder a terra a um casal de idosos que o havia procurado.

Diego Stefano Gomes da Silva, de 26 anos, suspeito de participação no homicídio, foi preso no dia 15 de abril do ano passado, em Santa Luzia, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Outros dois envolvidos no crime continuam foragidos, são eles Wemerson dos Santos Gomes, de 35 anos, e Cláudio Simão dos Santos (o Cadinho), de 45.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.