quinta-feira, 3 de Abril de 2014 04:56h Atualizado em 3 de Abril de 2014 às 05:01h. Mariana Gonçalves

Idoso é trancado em apartamento durante 24h

Por algumas horas o trânsito na Avenida 1º de Junho, esquina com Rua Goiás, ficou tumultuado na manhã de ontem.

A Policia Militar foi acionada para comparecer ao edifício Alvimar Mourão (1° de Junho), para averiguar, em um primeiro momento, a informação de uma possível tentativa de suicídio. Entretanto, ao chegar ao local a situação encontrada pelos policiais foi totalmente diferente.
De acordo com o sargento da PM, Silvano Lopes, quando a primeira viatura chegou ao local verificou-se que, em um dos apartamentos do primeiro andar, reside um senhor de idade com problemas mentais. Ele estava trancado em seu domicílio desde a tarde da última terça-feira (01).
Em conversa com os militares o morador relatou ter uma pessoa que é paga para fazer os seus cuidados, porém, esta o havia trancado na terça-feira e até a manhã de ontem a cuidadora não tinha chegado. O homem disse ainda que estava sem suas refeições e sem tomar os seus medicamentos. A porta foi destrancada e ele foi conduzido ao Hospital São João de Deus para fazer exames médicos.
Averiguações
De acordo com o sargento, as condições do local onde o idoso foi encontrado eram boas. A cuidadora foi identificada e conduzida à delegacia para prestar esclarecimentos. De acordo com a mulher, que não teve a identidade revelada, dentro do apartamento estava uma chave reserva. Porém, as condições do homem não o permitiram dar conta de abrir a porta.
A moça alegou ainda não ser verdadeira a acusação de abandono e disse que, conforme pedido da própria família, ela deve passear com ele e já estaria até com passagens compradas para embarcar com destino ao Rio de Janeiro. “Conseguimos três testemunhas oculares que relataram não ser a primeira vez que ela o deixa sozinho. Esse senhor tem 76 anos e sua família é do Rio de Janeiro. Eles pagam aqui em Divinópolis essa mulher para tomar conta do idoso. Como ele é uma pessoa bem debilitada, o fato de ter o abandonado configura crime. Porém, temos que analisar que, sem essa cuidadora, quem vai tomar conta do idoso até sua família chegar a cidade? Então, vamos conversar com o delegado para ver o que pode ser feito” completa o sargento.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.