quinta-feira, 20 de Outubro de 2011 09:28h Liziane Ricardo

Imagens de assassinato no Planalto vazam na internet

Há suspeitas de que as imagens do circuito interno, da loja de Emerson Alexandre Naves, executado com 12 tiros na noite de 6 de setembro, vazaram na internet.A delegada Regional, Aparecida Dutra disse não ter conhecimento da veiculação das imagens

As imagens do circuito interno de TV que mostram o assassinato de Emerson Alexandre Naves de 28 anos, no interior de sua loja e que estavam sob segredo de justiça, vazaram na internet. O comerciante foi executado na noite de 06 de setembro de 2011 com 12 tiros, no interior de seu estabelecimento na rua Nossa Senhora Aparecida no bairro Planalto. O vídeo foi postado por um usuário de email com identificação falsa (fake)  de “JaEraMenos1” na última terça feira, e até a tarde de ontem já era um dos vídeos mais assistidos pelos divinopolitanos, com mais de 2700 acessos.

 

 

Entretanto, o que intriga a imprensa e também os usuários da internet que já assistiram as cenas, é o fato de ser uma filmagem feita por duas pessoas que também assistem e conversam sobre a forma como ocorreu o assassinato. A princípio, o delegado que esteve no local do crime, Éderson Gonçalves, informou a imprensa que o vídeo do circuito interno da loja não seria divulgado, e o material já teria sido recolhido pela perícia como provas a serem analisadas junto do processo investigativo.


Há suspeitas de que as imagens do circuito interno, então arquivadas no computador que ficava na loja da vítima, foram copiadas antes do CPU ter sido recolhido pela Polícia Civil, por isto a divulgação na internet.

 

REPRODUÇÃO


A filmagem mostra nitidamente os clientes presentes na loja no ato do assassinato, o que acaba expondo as testemunhas por toda a rede de computadores, outro ponto observado é que aparecem uma tela de computador e uma mão no mouse, supostamente de quem assistiu junto a uma segunda pessoa que gravou a reprodução do vídeo. Há informações de que fotos do jovem morto, retiradas pela perícia da Polícia Civil também estariam circulando na cidade através de fotografias de celular. 


A reportagem da Gazeta do Oeste entrou em contato com a Delegada Regional Aparecida Dutra de Barros Quadros para verificar o posicionamento da Polícia Civil em relação ao vazamento das informações sigilosas. No entanto, a delegada preferiu não gravar entrevista, devido não ter conhecimento da veiculação deste vídeo. Porém ela (Aparecida) adiantou que uma emissora de televisão já tinha solicitado o vídeo e por questões investigativas os delegados optaram por não divulgar, para que não atrapalhasse o processo investigativo, uma vez que a polícia está atrás de dois suspeitos do crime. Na ocasião, a delegada reforçou desconhecer o fato, mas que se for o caso de abrir uma sindicância administrativa os procedimentos serão tomados.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.