quarta-feira, 20 de Novembro de 2013 05:48h Luiz Felipe Enes

Incineração marca o Dia da Bandeira em Divinópolis

A solenidade foi no Batalhão da Polícia Militar e teve como objetivo ressaltar a data e incinerar as bandeiras que não são mais utilizadas

O Dia da Bandeira Nacional foi comemorado ontem, na sede do 23° Batalhão de Polícia Militar em Divinópolis, com a incineração das bandeiras inservíveis. Essa é a única data do ano em que se permite a destruição das bandeiras antigas, mas que são substituídas por novas. Houve a participação do comandante da 7ª região de Polícia Militar, Eduardo Campos, o tenente coronel do 23° Batalhão da PM, Marcelo Carlos da Silva, oficiais Militares e representantes do Exército Brasileiro.

 

Em Itaúna também houve a solenidade, que contou com a presença de diversas autoridades, e também a participação de dez escolas municipais da cidade. Por lá, existe um projeto cuja finalidade é resgatar o patriotismo das crianças por meio de atos sociais. De acordo a Polícia Militar de Itaúna, o objetivo é ampliar as ações no ano seguinte, para as escolas estaduais.

 

Como de praxe, em Divinópolis e Itaúna houve a apresentação das bandas musicais, que entoaram o hino nacional e da bandeira, e posteriormente iniciaram o ato da incineração.

 

UM POUCO DE HISTÓRIA

 

A Bandeira Nacional foi idealizada por Miguel Lemos e desenhada pelo pintor Décio Vilares. Ela foi instituída pelo decreto 4, de 19 de novembro de 1889. As cores e o desenho da atual bandeira nacional tiveram como inspiração a bandeira imperial, instituída por Dom Pedro I, em dezembro de 1822.

 

No início constavam 21 estrelas que representavam os estados. Hoje são 27, por conta do acréscimo dos estados e do Distrito Federal, criados ao logo desses 123 anos. O hino em homenagem à bandeira foi escrito por Olavo Bilac e a música teve a assinatura de Francisco Braga.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.