quinta-feira, 30 de Agosto de 2012 14:13h Erik Ullysses

Índice aponta que 80% de ex-detentos retornam ao crime

Em Minas Gerais a cada dez presos que deixam as prisões após cumprirem suas penas, oito voltam a cometer algum tipo de crime. O índice de reincidência faz parte dos dados levantados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Atualmente a população carcerária de Minas é de 51.318 pessoas, gerando um alto valor para manter os detentos.

 


A manutenção de cada preso é calculada em torno de R$ 1.600 mensais, o que somando todos os presos daria uma quantia de quase um bilhão de reais por ano aos cofres públicos. Dos detentos mineiros 60% praticaram algum pequeno ou médio crime contra o patrimônio e 8% são homicidas.

 


Uma das alternativas para combater a reincidência dos detentos são os programas de ressocialização. Em Divinópolis os detentos do presídio Floramar participam de atividades que os ajudam na reintegração na sociedade e no mercado de trabalho. São realizados trabalhos de corte e costura, além de existirem presos que trabalham em parceria com algumas empresas privadas de construção civil. Para realizarem as atividades os detentos passam por uma avaliação da Comissão de Classificação que os julga como aptos ou não.

 


Existem outros que já estão inseridos no mercado de trabalho em Divinópolis, mas estes só podem exercer as atividades com autorização da justiça, além de estarem cumprindo o regime semi-aberto.

 


Por fim é valido ressaltar que a cada dia trabalhado o preso tem um dia de sua pena reduzido, além disso, a aprendizagem que é adquirida o torna habilitado para desempenhar diversas atividades.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.