quinta-feira, 30 de Julho de 2015 14:16h Assessoria de Comunicação – PCMG

Integrante de gangue do Aglomerado do Papagaio é preso por homicídio

A equipe de policiais civis do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) indicou um dos nomes mais influentes no tráfico de drogas na região do Aglomerado do Papagaio, na Zona Sul da capital

Aleksander Fonseca Guimarães (conhecido como Alexzinho), de 21 anos, era investigado pela morte de Thiago Henrique Ferreira de Souza, de 16. O crime ocorreu em dezembro de 2013, no bairro São Pedro.

Investigações apontam que o homicídio foi motivado pelo conflito existente entre duas gangues atuantes naquela região: as gangues da Rua H e a da Rua da Bolívia. Aleksander, integrante da gangue da Rua H, ocupava uma posição de respeito dentro do grupo, já que compunha a segurança armada daqueles, assim como liderava jovens no comércio de drogas ilícitas dentro do aglomerado.

O delegado responsável pelas investigações, Anderson França, ressaltou que Aleksander já havia sido indiciado em outros quatro homicídios quando era adolescente. O jovem também é investigado em outros dois inquéritos policiais instaurados pelo DHPP.

Ainda de acordo com levantamento realizado na região onde Aleksander atuava, a gangue da Rua H é a mais influente e com o maior número de alianças no Aglomerado do Papagaio. Depois da prisão dos líderes do grupo, Leandro de Souza Veloso (o Leleo) e Rafael Carlos Santos Rocha (o Rafa), ambos indiciados por homicídio, Aleksander assumiu a função de organizar e distribuir as tarefas da gangue.

O suspeito tem diversas ocorrências policiais por crimes como tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, receptação, uso de documento falso, além de homicídios.

O crime

Segundo investigações, Thiago, que pertencia à gangue da Rua Bolívia, começou um relacionamento com a ex-namorada de Júlio César Ferreira da Silva, membro da gangue da Rua H. No dia anterior ao crime, Júlio César, foi à casa da jovem, e durante discussão acabou agredindo-a. Em razão desse incidente, Júlio foi assassinado, gerando a revolta dos integrantes da gangue rival. No dia seguinte, Aleksander teria vingado a morte do colega assassinando Thiago.

Aleksander foi preso após ser abordado pela polícia e apresentar documentação falsa. Por ser conhecido das forças policiais da capital, o suspeito foi identificado e teve seu mandado de prisão preventiva cumprido. Ele foi encaminhado para o Presídio Antônio Dutra Ladeira. Participaram das investigações o delegado Anderson França, a escrivã Letícia Duarte, e os investigadores Mateus Carvalho, Caio Dangelis e Guilherme Vieira.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.