segunda-feira, 24 de Agosto de 2015 14:04h Polícia Civil

Integrante do Primeiro Comando do Barreiro é preso pela Polícia Civil

Um dos chefes da organização criminosa denominada Primeiro Comando do Barreiro (PCB), Paulo Henrique Matias Graciano (conhecido como Pica-pau) foi preso, na manhã desta sexta-feira (21), na cidade de Jardinópolis, em São Paulo

A ação policial, realizada pela equipe de policiais civis do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deve-se ao cumprimento do mandado de prisão preventiva expedido em razão do assassinato de Wudson Flavio, ocorrido em 24 de maio do ano passado, no bairro Lindeia, região do Barreiro, na capital.

De acordo com levantamentos, o PCB, que tinha como intenção a dominação dos bairros Castanheiras I e II, Santa Cecília, Vila Formosa, Vila Horta e Vila Ecológica, na região do Barreiro, recebia de cinco a dez quilos de cocaína a cada 20 dias, repassando tais substâncias a outros traficantes menores. Entre os crimes em que o suspeito é apontado como autor consta um duplo homicídio, no qual ele é réu, sendo as vítimas uma criança de dois anos, atingida por disparo de arma de fogo, e o pai dela, que a segurava nos braços. 

Segundo o chefe da Divisão Especializada de Investigação de Crimes Contra a Vida (DICCV), Luiz Flávio Cortat, foram enviados nove policiais civis do DHPP ao estado de São Paulo, a fim de efetuar a prisão de Paulo Henrique. Após receberem autorização judicial, a equipe iniciou o recambiamento do investigado para um complexo penitenciário de segurança máxima, em razão da periculosidade de Paulo Henrique, que possui extensa ficha criminal. “No momento da prisão, foi evidenciada a vida de luxo do criminoso, com requintes exteriores de riqueza, obtida por meio do tráfico de drogas”, ressaltou o delegado.


                                                                                                           

Créditos: Divulgação PCMG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.