sexta-feira, 19 de Setembro de 2014 06:31h Aaron Gabriel

Inteligência da Polícia Militar apreende mais de sete quilos de drogas

Foram encontrados maconha, cocaína, crack e materiais para fabricação e mistura de cocaína

Créditos: Aaron Oliveira


Na manhã de ontem uma equipe das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), desmantelou uma quadrilha que vendia drogas no bairro Maria Helena. Com eles foram apreendidos mais de sete quilos de drogas, balanças de precisão e uma arma de fogo.


Segundo o primeiro sargento da Rotam, Elton Tavares, por meio de denúncias feitas pelos moradores do bairro Maria Helena, a polícia tomoui conhecimento de que indivíduos estariam traficando drogas no bairro. O serviço de inteligência da Polícia Militar (PM) mobilizou doze policiais na operação.


A PM montou campana por três horas durante a madrugada desta quarta-feira observando como a quadrilha agia na venda dos entorpecentes e a função de cada um. “Os traficantes que ali se apresentavam, os olheiros, o pessoal que recolhia a droga e o dinheiro”, enumerou Elton.


Quando os policiais abordaram quatro indivíduos, foi encontrada uma pequena quantidade de droga e um revólver calibre 38 em posse de um dos homens. Porém, os policiais desconfiaram que houvesse uma quantidade maior no lote onde eles sempre entravam para buscar drogas para venda.
Uma equipe da Ronda Ostensiva com Cães (Rocca), foi chamada para fazer uma varredura no local e foram encontrados quatro quilos de cocaína, três quilos de maconha e meio quilo de crack, além de duas balanças de precisão, munições e R$ 213. Também foram encontrados materiais como acetona e ácido bórico, usados para fazer cocaína e na mistura da droga.


Dos quatro homens presos, três já têm passagens pela Polícia, dois deles por tráfico de drogas, assalto a mão armada e posse ilegal de arma. Os quatro homens responderão por tráfico de drogas, associação para o tráfico, formação de quadrilha e porte ilegal de arma de fogo. Eles foram encaminhados para delegacia e depois transferidos para o presídio Floramar.


Nada disso poderia ser feito sem a colaboração da população ao fazer as denúncias aos policias, que assim conseguiram fazer a prisão da quadrilha. “Eu aconselho todos os cidadãos divinopolitanos a continuarem denunciando, continuarem ligando no número 190 ou 181, para que possamos prestar um melhor serviço para sociedade”, estimula o sargento.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.