sábado, 19 de Outubro de 2013 05:48h

Investimentos na perícia favorece processo de investigação criminal

Uma série de melhorias ao setor devem ser implementadas em diversas cidades do Estado

Aquisição de novos equipamentos, que permitirão maior agilidade nos diversos tipos de perícia, mais viaturas e ampliação do quadro de peritos. Com esses investimentos, previstos para ocorrer ainda neste ano, o Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Civil de Minas Gerais prepara para dar um novo salto na sua capacidade de funcionamento, que terá como marco o Núcleo Integrado de Perícias. A construção, que vai abrigar também o Instituto Médico Legal (IML), deve ficar pronta em 2015.

Nos próximos meses, devem ser concluídos os processos de compra de cinco cromatógrafos, destinados ao exame definitivo sobre drogas, além de 62 tanques de disparo de arma de fogo e três microcomparadores balísticos. Todos esses equipamentos, com custo estimado da ordem de R$ 5 milhões, serão destinados para unidades do interior. O sétimo departamento de Polícia Civil em Divinópolis, deve ser contemplado com alguns equipamentos. Também até o final do ano deverão ser entregues ao IC 82 novas viaturas, frota que será destinada para municípios das diversas regiões do Estado.

Segundo a diretora-geral do Instituto de Criminalística, Dayse Lúcia Mascarenhas Gomes, o modelo de gestão colocado em prática desde o ano passado permitiu uma otimização dos serviços e a garantia de que os peritos tenham sempre em mãos todos os equipamentos necessários para o trabalho. “Nosso almoxarifado está totalmente abastecido e, tanto na capital quanto no interior, a orientação é para que todas as requisições de material sejam prontamente atendidas, para assegurar aos peritos, plenas condições de atender as demandas”, ressalta.

A diretora acrescenta que os 95 novos peritos a serem empossados no primeiro semestre de 2014 – aprovados em concurso público, passarão por curso de formação – irão ampliar o quadro de profissionais e reforçar as equipes, especialmente no interior, para onde será designada a maioria dos nomeados. “Em Belo Horizonte e nas demais cidades, nossas equipes atuam em escalas que atendem normalmente as demandas. Quando ocorre uma eventualidade, temos peritos disponíveis para convocação de emergência, de forma que o serviço de perícia criminal cumpra o seu papel na cadeia da investigação da Polícia Judiciária”, afirma.

MODERNIZAÇÃO

Reconhecido no Brasil como celeiro de profissionais com enorme potencial, de destaque para as áreas de Genética Forense (DNA), Documentoscopia, Fonética Forense, Papiloscopia e Reconhecimento Facial Humano, o Instituto de Criminalística já disponibiliza laudos com base digital e está em franco processo de adesão à PCnet, o sistema informatizado da Polícia Civil que integra os registros policiais das unidades da capital e no interior.

Foi justamente o módulo do “PCnet” denominado “Procedimento Investigativo de Pessoas Desaparecidas” (PIPD), desenvolvido em parceria com a Prodemge, que levou o chefe da Divisão de Perícias Médico-Legais do Instituto Médico-Legal de Belo Horizonte, João Batista Rodrigues Júnior, juntamente com o gerente de Sistemas de Segurança Civil da Prodemge, Ladimir Freitas, a receber do Congresso de Inovação e Informática em Gestão Pública (Conip) o Prêmio de Excelência em Inovação na Gestão Pública de 2013, entregue no dia 21 de agosto. O projeto recebeu também o troféu de melhor na categoria “Fortalecimento da Cidadania”.

Periodicamente, os peritos criminais de Minas Gerais, que costumeiramente são convidados para fazer palestras em universidades de todo o país, participam de cursos de aperfeiçoamento profissional na Academia de Polícia Civil (Acadepol). Eles também atuam integrados com a Força de Segurança Nacional, num intercâmbio fundamental para troca de experiências com profissionais de todas as regiões do Brasil.

NÚCLEO INTEGRADO DE PERÍCIAS

O Núcleo Integrado de Perícias, que reunirá num mesmo espaço o Instituto Médico Legal (IML) e o Instituto de Criminalística (IC), será construído na região da Gameleira. De acordo com o chefe da Divisão de Interior do Instituto de Criminalística, Washington Xavier, o projeto também propõe ações para o aprimoramento tecnológico das instalações e dos equipamentos, bem como a uniformização dos processos da perícia legal e criminal em Minas Gerais. “A iniciativa busca solucionar um desafio maior: a criação de um prédio adaptado para os serviços do IC e do IML. Consequentemente, aperfeiçoará o trabalho pericial como um todo”, afirma.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.