quinta-feira, 30 de Agosto de 2012 15:19h Gazeta do Oeste

Julgamento do Caso Bruno vai demorar ainda mais

A perda de testemunhas, como no caso de Sérgio Rosa Sales, morto a tiros, pode atrasar ainda mais o julgamento dos acusados de sequestro, morte e ocultação do cadáver de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes de Souza. O Fórum de Contagem informou ontem que o processo, que se arrasta há dois anos, retornou para a juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues na sexta-feira e que a magistrada já trabalha na etapa que antecede a realização do júri popular. Mas, na avaliação de advogado que acompanha o caso de perto, o desfecho não deve ocorrer rapidamente.

“Como o rapaz (Sérgio) apresentou duas versões – uma acusando e outra absolvendo Bruno – em seus depoimentos, a validade do que ele disse pode ser contestada e gerar dúvidas nos jurados. E ele não estará lá para explicar e apresentar uma versão definitiva”, exemplificou o advogado e professor de direito penal e processual da PUC Minas Livingston José Machado. Sérgio, primo de Bruno, foi executado na semana passada quando saía de casa, no Bairro Minaslândia, na Região Norte de Belo Horizonte.

O próximo procedimento no processo, de acordo com o Código Penal Brasileiro, é a comunicação aos advogados para que eles indiquem suas testemunhas. A partir do momento em que forem citados, os defensores terão prazo de cinco dias para responder à juíza. Nessa fase são admitidas novas ações, como a realização de perícias e a adição de documentos, caso isso seja pedido pelos advogados. Por isso, não é possível definir a data do julgamento.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.