sexta-feira, 31 de Outubro de 2014 06:08h Atualizado em 31 de Outubro de 2014 às 06:13h.

Laudo com a causa morte de menina jogada contra a parede pelo pai deve sair em 20 dias

A criança de um ano e meio morreu seis dias após o pai jogá-la contra a parede durante uma briga com a mãe. Reconstituição do crime foi feito nesta quarta

Uma cidade inteira comovida. Esse é o cenário de Pompéu com a morte de uma menina de um ano e meio que pode ter sido vítima da fúria do próprio pai. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil, que realizou uma reconstituição na tarde desta quarta-feira, após o enterro da criança.
De acordo com o delegado responsável pelo caso, Rodrigo Noronha, a menina deu entrada no pronto-atendimento da cidade no último dia 23 de outubro com vômitos, mas nesta terça-feira voltou a passar mal e foi encaminhada ao pronto-atendimento de Sete Lagoas, onde morreu.
O corpo foi levado para Bom Despacho para exames que deverão apontar a causa da morte. Um laudo preliminar apontou que a causa da morte da menina foi por pneumonia bacteriana e outras fraturas.
A reconstituição da morte da criança foi feita na tarde desta quarta, momentos depois de ela ter sido enterrada. De acordo com a versão da mãe da menina, de 25 anos, ela e o marido, de 36 anos, discutiram na tentativa de reatar o relacionamento. Houve agressões e a menina foi atirada na parede pelo pai.
O pai da criança negou toda a acusação e apresentou uma versão diferente da investigada. “A versão que investigamos e que acreditamos que tenha ocorrido de fato é a de que o pai agrediu a mãe e jogou a filha contra a parede durante uma discussão. Ele contou que a menina caiu da cama enquanto eles brigavam”, afirmou o delegado em entrevista ao G1.

 

 

 

Crime
De acordo com o delegado Rodrigo Noronha, tudo começou quando a mãe da criança, que mora com uma tia, procurou pelo ex-companheiro na casa onde ele mora na última quinta-feira (23), na tentativa de reatar o relacionamento. Por algum motivo eles se desentenderam ainda do lado de fora da casa e começaram uma discussão que foi presenciada por vários vizinhos. “Nessa briga, ele cuspiu no rosto da ex-companheira que segurava a filha no colo. Em um determinado momento, ela entrou para a residência onde iniciaram as agressões”, explicou.
Sem nenhuma lesão externa, o casal não se preocupou em buscar atendimento hospitalar. No dia seguinte à agressão, segundo a mãe, a menina começou a chorar muito e recusava-se a se alimentar, sendo levada para o Pronto Atendimento Municipal (PAM) de Pompéu. A menina foi medicada e liberada, a mãe contou que procurou a unidade de saúde novamente nesta segunda e terça-feira, quando a criança foi transferida para o Hospital de Sete Lagoas, após o médico detectar líquido no pulmão da menina. Lá a menina não resistiu e morreu.

 

 

 

Preso
O pai, que tem várias passagens pela polícia por uso de drogas, tráfico, furtos e roubos, está preso no presídio de Pompéu. O suspeito deve responder por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e pela impossibilidade de resistência da vítima, além de ser acrescida pena pela reincidência e por ser cometido contra descendente.
A mãe da menina disse que não contou nada antes para a polícia com medo do ex-companheiro.

 

 

Crédito: Divulgação PC

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.