terça-feira, 19 de Junho de 2012 10:04h Gazeta do Oeste

Lei Seca leva mais de 3.700 motoristas para a cadeia

Entre o dia 20 de junho de 2008 até o último domingo, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou mais de 220 mil testes de bafômetro em rodovias de Minas Gerais

Entre o dia 20 de junho de 2008 até o último domingo, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou mais de 220 mil testes de bafômetro em rodovias de Minas Gerais, após a aprovação da chamada “Lei Seca”. Durante o período, 7.139 pessoas foram autuadas. Destas, 3.792 foram presas. Somente nos cinco primeiros meses deste ano, foram mais de três mil testes, 969 autuações e 308 prisões.

 

“Os números relativos aos testes de embriaguez divulgados pela Polícia Rodoviária Federal em Minas retratam o combate incessante à prática de se dirigir após ingestão de bebida alcoólica, pois sabemos que esta conduta acaba, em muitas vezes, sendo fator determinante para ocorrência de acidentes”, destacou a chefe de Comunicação Social da PRF, inspetora Fabrízia Nicolai.

 

Ela observou que o combate à embriaguez ao volante é um dos principais pilares da atividade de fiscalização de trânsito exercida pela PRF. Neste sentido, acentuou que a corporação procura atuar tanto repressivamente como preventivamente, e citou como exemplo a deflagração de blitze com bafômetros em locais onde estejam ocorrendo eventos às margens das rodovias, principalmente naqueles em que a venda e o consumo de bebida alcoólica são liberados.

 

“O intuito maior da atividade policial exercida pela PRF é salvar vidas. Ao alcançarmos o motorista alcoolizado na direção veicular, estamos reduzindo a possibilidade deste indivíduo perder sua vida e, consequentemente, salvando outros inocentes”, completou Fabrízia Nicolai.

 

Segundo a inspetora da PRF, há também uma determinação da direção geral do Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPRF), com sede em Brasília, para que em todos os acidentes registrados em rodovias federais mineiras os condutores envolvidos sejam convidados a realizar o teste no bafômetro.

 

Congresso quer apertar o cerco à embriaguez ao volante

 

No último dia 11 de abril foram aprovadas, pela Câmara dos Deputados, algumas mudanças que permitem a caracterização da embriaguez por prova testemunhal, exame clínico, imagem, vídeo, constatação de sinais que indiquem o comprometimento da capacidade psicomotora, ou de qualquer outra prova admitida, reafirmando a fé pública do policial. Agora, a proposta aprovada será votada no Senado Federal.

 

“A atuação da PRF na luta pela modernização da legislação de trânsito vem se consolidando, não somente como um órgão fiscalizador mas com a possibilidade e o dever de fomentar novas políticas que resultem em um sistema de trânsito mais humanizado, no qual o bom motorista não seja vítima do condutor imprudente ou negligente”, destacou a diretora-geral do DPRF, inspetora Maria Alice.

 

 

 

 

HOJE EM DIA

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.