quinta-feira, 23 de Maio de 2013 06:18h Erik Ullysses

Mangueira do Corpo de Bombeiros fura durante combate a incêndio

Testemunhas relataram que devido aos furos os bombeiros tiveram que utilizar a mangueira do Sesi para apagar as chamas. O Corpo de Bombeiros afirmou que foi utilizado apenas água do clube e que os furos realmente aconteceram, mas que em momento algum atra

No início da tarde de ontem um incêndio em um lote vago em frente ao Sesi no bairro Bom Pastor causou um princípio de pânico nas pessoas que estavam no local. Devido ao horário, vários veículos estavam estacionados no local e muitas crianças saíam da aula com seus pais. De acordo com testemunhas o fogo avançou tanto que quase atingiu os carros e causou pânico.

O Corpo de Bombeiros foi acionado ao local para conter as chamas. Mas de acordo com testemunhas no momento em que foram apagar as chamas a mangueira estava furada e não deu vazão suficiente. Os bombeiros precisaram então utilizar a mangueira do Sesi para controlar o fogo.

Nossa reportagem entrou em contato com o Corpo de Bombeiros para esclarecer os fatos. De acordo com o sargento Gilson Lucas a mangueira que os bombeiros utilizaram realmente furou durante o manuseio, no entanto em nenhum momento foram utilizadas mangueiras do Sesi. O sargento afirmou que os bombeiros militares trabalharam normalmente e conseguiram conter as chamas, sem que os furos da mangueira atrapalhasse a ação. Segundo ele, como o caminhão do CB tem capacidade de seis mil litros de água e a vazão de água da mangueira é grande, foi necessário recorrer ao Sesi para utilizar o deposito de água do local, uma vez que a do caminhão havia acabado. Dessa forma, foi utilizada a mangueira para encher o caminhão de água para que se pudesse continuar o combate ao fogo.

O sargento Lucas contou que os furos na mangueira aconteceram durante o combate, o que seria normal, tendo provavelmente passado por algum pedaço de brasa que provocou o estrago. Ele disse que a mangueira utilizada nos combates a incêndios em matas também é utilizada no combate a incêndios em residências e prédios, entre outros, e que elas estão sujeitas a este tipo de incidente. Caso seja constatado que a mangueira furou durante a ocorrência ela é marcada na mesma hora para que seja substituída.

O sargento explicou ainda que todas as mangueiras de combate à incêndio do Corpo de Bombeiros passam por inspeção. Assim que os bombeiros retornam de uma ocorrência elas são lavadas e secadas, para somente depois serem guardadas, evitando assim que ela seja ressecada. Caso seja constatado algum estrago elas são substituídas imediatamente por outra do estoque. Foi o que aconteceu com a mangueira utilizada ontem no Bom Pastor.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.