quinta-feira, 5 de Julho de 2012 14:51h Camila Caetano

Menino de 5 anos sofre tentativa de estupro em Divinópolis

No mesmo dia a mãe e o irmão da criança ainda foram conversar com o suspeito, o qual afirmou que não houve nada, que foi apenas um engano do menino. Segundo o Sargento Silvano Lopes o suspeito é usuário de drogas

Nesta quarta-feira a Polícia Militar foi acionada para verificar uma tentativa de estupro a uma criança de 5 anos. A diretora do Centro Municipal de Educação Infantil-Cemei no bairro São Luiz passou aos militares a informação de que um menino da escola havia sido molestado no dia anterior. A iniciativa da denúncia foi após uma conversa com a criança, já que a diretora havia estranhado algumas das suas atitudes, deste modo, ele contou toda a história, esclareceu nos mínimos detalhes o que aconteceu e apontou o vizinho como o responsável pelo abuso.

 


A mãe conta que seu filho estava realmente com um comportamento diferente, mas que não imagina que algo de tamanha gravidade pudesse ter acontecido. Ela ainda relata que chegou do serviço e achou o menino na rua abraçado com uma mulher desconhecida, estranhando a atitude do filho foi procurar saber o que ocorreu. Assim, o menino declarou que estava com medo porque o vizinho tentou abusá-lo, quando fugiu da casa e abraçou a moça que passava na rua, para lhe proteger. “Minha intenção era levar ele na psicóloga hoje para ver se era verdade porque eu não confiei nele, porque criança mente também, e ele já tem essa fama de mentiroso, de ser custoso. Ai depois eu levaria no Conselho Tutelar”, comenta a mãe.

 


No mesmo dia a mãe e o irmão da criança ainda foram conversar com o suspeito, o qual afirmou que não houve nada, que foi apenas um engano do menino. Segundo o Sargento Silvano Lopes o suspeito é usuário de drogas e seu pai ex-presidiário, que hoje já se redimiu e está trabalhando.

 


Além disso, a criança fica no período da tarde com sua prima, que recebe 50 reais por cuidar do menino. “Ela disse que num determinado dia saiu para ir à padaria e que a criança realmente ficou sozinha, nessa ocasião que pode ter ocorrido o fato, mas a gente ainda não sabe se teve conivência da menina que cuida da criança”, declara o Sargento Silvano.

 


O Sargento ainda comenta que o Conselho Tutelar já foi acionado assim como o Juiz do Direito da Infância e Juventude, sendo que a ocorrência já está registrada para que a Polícia Civil apure os fatos com mais profundidade. “Qualquer fato que tivermos em relação à proteção da integridade da criança nós vamos tomar providências sim, enérgicas se for possível, sem problema algum”, complementa Silvano Lopes.

 


“Hoje eu já chorei tudo o que eu tinha que chorar, eu não tenho nenhuma pessoa que ajuda a olhar meu filho para eu trabalhar, eu não tenho marido e nem outro lugar para tirar meu sustento. Então, eu confiei numa pessoa que deixou ele sozinho, que foi negligente e aconteceu isso. Foi uma tentativa, mas poderia ter acontecido se não tivesse descoberto a tempo. É uma coisa que eu falo para as mães, no primeiro ato a gente nunca confia nos filhos, mas passa então a confiar, a gente tem que confiar primeiro no filho da gente, porque bandido não tem honra nenhuma”, desabafa a mãe.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.