sexta-feira, 20 de Setembro de 2013 05:44h Atualizado em 20 de Setembro de 2013 às 05:53h. Luiz Felipe Enes

Militar é enterrado sob forte comoção

Corpo de militar é enterrado sob forte emoção com todas as honras militares

Cerca de 300 pessoas acompanharam o sepultamento do policial militar Edgar Porfírio de Oliveira Júnior de 29 anos. O corpo do Militar, vítima de atropelamento enquanto trabalhava em uma blitz de trânsito, foi velado ontem (19), na quadra do 23° Batalhão de Polícia Militar em Divinópolis.
Soldado Porfírio, como era chamado na corporação, começou seus trabalhos na Polícia no dia 16 de agosto de 2006. Formou-se na Escola de Soldados, na Academia de Polícia Militar de Belo Horizonte. Antes de desempenhar suas atividades em Divinópolis, passou pelas companhias de Polícia de Itaúna e Betim.
Edgar Porfírio de Oliveira Júnior recebeu várias recompensas pelos serviços prestados, três elogios individuais, 19 notas meritórias, e atualmente, em um critério de avaliação interno, estava no conceito A, o mais bem classificado da corporação. “Tratava-se de um excelente profissional, sendo muito querido e respeitado pelos colegas de trabalho”, lamentou a assessoria.
Marcado pela comoção e emoção de familiares, amigos e companheiros de farda, o corpo do soldado começou a ser velado por volta das 11h30 desta quinta-feira. As 15h o corpo deixou as dependências do 23º Batalhão da Polícia Militar em cima do carro do Corpo de Bombeiros por onde passou pelas principais vias da cidade escoltado por dezenas de carros de passeios e viaturas das Polícias Militar e Civil, além do Corpo de Bombeiros e Tiro de Guerra.
A urna, coberta pela bandeira do Brasil foi levada para a capela do cemitério onde foi recebida com a marcha fúnebre tocada pela banda da Polícia Militar. Logo em seguida uma salva de tiros foi realizada e a bandeira do Brasil retirada do caixão e entregue ao pai do soldado Porfírio.
O corpo do soldado Porfírio, que será promovido a cabo, foi sepultado sob uma salva de palmas, junto a dezenas de coroas de flores, em meio a muita emoção e gratidão.
De acordo com informações da Polícia Militar, a última baixa de um militar em atividade foi em 1997, quando um sargento foi alvejado por disparos de arma de fogo no bairro Alto São João de Deus.

O caso

Na manhã de segunda-feira (16), o soldado Porfírio foi atropelado durante uma bliz, na rua Castro Alves no bairro São José. Ele tentou fazer a abordagem de um Fiat Strada, quando o condutor do veículo não respeitou a ordem de parada, atropelou o militar e fugiu.
O policial foi socorrido pelo Resgate do Corpo de Bombeiros até a Unidade de Pronto Atendimento Central, de onde foi transferido para o Hospital Santa Mônica com politraumatismo, traumatismo crânio-encefálico e ortopédico Ele foi submetido a uma cirurgia, ficou em coma induzido, respirando com ajuda de aparelhos. Na terça-feira (17) foi anunciada a morte cerebral do militar e a falência múltipla dos órgãos aconteceu na madrugada de ontem.

Presos
O condutor do carro que atropelou o militar, Tiago Henrique Pereira Santos, de 24 anos, foi preso no mesmo dia do atropelamento pelos crimes de tentativa de homicídio, omissão de socorro e desobediência, além de denúncia falsa de crime, já que ele comunicou que o carro havia sido roubado e posteriormente a polícia descobriu ser desculpa para fugir da responsabilidade do atropelamento. O proprietário do veículo, Mike Lauro Teixeira, de 21 anos, também foi preso para prestar esclarecimentos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.