sábado, 21 de Maio de 2011 12:22h Marciel Muniz

Militares do Gepar contribuem para a redução da criminalidade em Divinópolis

O grupo especializado foi implantado em Divinópolis em 2007 para a redução dos níveis de criminalidade

O Grupo Especializado de Policiamento em Áreas de Risco (Gepar) foi implantado em 2007 no bairro Alto São João de Deus II, em Divinópolis. De acordo com a Polícia Militar a região foi escolhida por apresentar um número elevado de tráfico de drogas e homicídios, fatos esses que apresentaram uma redução com a chegada do grupo na comunidade.

 

 

O GEPAR atua com o objetivo de garantir a segurança aos moradores, promovendo a prevenção e repressão qualificada aos crimes violentos, buscando o objetivo de reduzir os índices criminais nas áreas de risco e também, traçar estratégias para reduzir a mão de obra disponível para a práatica de crimes. A atuação do grupo é baseada na filosofia de trabalhar o conceito social em uma área especifica objetivando resgatar a credibilidade das comunidades através das áreas sociais de polícia preventiva e repressiva.

 

O responsável frente ao GEPAR o segundo Tenente Stanley Araújo Pena destacou as três doutrinas adotadas pelas quais o grupo exerce suas ações tais como prevenção, repressão qualificada e promoção social. “O policiamento feito nos aglomerados urbanos que ofertam maior nível de criminalidade e tráfico de drogas se faz necessário, e foi através da visão dessa defasagem que o município apresentava que o GEPAR foi implantado e desde longa data vem exercendo um belo trabalho trazendo melhorias realizando a promoção social na comunidade” destacou.

 

 

O sargento Silvano Lopes do 23° Batalhão de Policia Militar atua no grupo há cerca de três meses, o sargento ressaltou a importância que o grupo tem para reduzir o nível da criminalidade e promover a ação social nas chamadas áreas de risco. “O GEPAR é uma nova modalidade de policiamento que é voltado para a qualidade de vida da população e policiamento ostensivo em áreas de risco com maior número de tráfico de drogas e ocorrência de homicídios, as pessoas passam a confiar mais no grupo que trabalha para que a ordem permaneça em nas comunidades e com isso o índice de crimes violentos e trafico de drogas é reduzido” explicou o sargento.

 

Os treinamentos ocorrem semanalmente com a presença de um oficial psicólogo que exerce o acompanhamento psicológico preventivo dos militares para que os mesmos estejam sempre centrados para com a realização de suas tarefas e também para trabalhar o stress psicológico decorrente do policiamento exercido nas áreas de risco.

 

 

Requisitos:

 

Para o policial militar fazer parte do grupo especializado da PM ele tem que apresentar certos requisitos tais como:

- A entrada do militar para o grupo deve ocorrer de forma voluntária
- Policial deve ter no mínimo um ano de serviço operacional exercido na corporação.
- O PM não pode ter registrado em seu currículo militar punições como uso indevido de arma de fogo, uso indevido de bebida alcoólica entre outras infrações de natureza grave nos últimos doze meses.
- O curso de promotor de polícia comunitária e de direitos humanos e (ou) curso de instrutor do programa educacional de resistência às drogas (PROERD).
- Estar atualizado no treinamento básico da Policia Militar
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.