terça-feira, 14 de Agosto de 2012 16:03h Gazeta do Oeste

Minas Gerais abrigou oito centros de tortura

Minas Gerais abrigou oito centros de tortura durante a ditadura militar, cinco deles em Belo Horizonte. Estudo produzido por pesquisadores da UFMG, obtido com exclusividade pelo Hoje em Dia, encontrou 82 aparelhos clandestinos em todo o país utilizados pelo regime militar para torturar ativistas políticos contrários à ditadura. O estudo abrange o período entre 1964 e 1985.

O levantamento produzido pelo projeto República do Núcleo de Pesquisa, Documentação e Memória da UFMG aponta que o Colégio Militar, a Delegacia de Vigilância Social, a Delegacia de Furtos e Roubos, o 12º Regimento de Infantaria e uma casa no bairro Renascença foram utilizados como aparatos do estado ditatorial para torturar presos políticos.

Outros três pontos fora da capital também foram utilizados pelos militares. Sítios clandestinos em Ribeirão das Neves, no Triângulo Mineiro e o presídio de Linhares, em Juiz de Fora.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.