sábado, 21 de Maio de 2016 04:41h Polícia Civil de Minas Gerais

Mulher que matou nora no início do ano é presa durante ação policial

A Polícia Civil prendeu, na manhã desta sexta-feira (20), Sandra Maria Gonçalves, de 42 anos, apontada como responsável pelo homicídio da nora Larissa Stefanie da Paixão (conhecida como Lara), de 21

A jovem foi assassinada, com golpe de faca, na manhã do dia 2 de fevereiro deste ano, no bairro Jardim Leblon, região de Venda Nova.

Conforme explicou a delegada Indiara Froes, que coordenou as investigações, Sandra contou com o apoio de um amigo, Avelino Alves Teixeira (o Vila), para cometer o crime. Testemunhas relatam o que relacionamento entre Sandra e Larissa era conturbado e marcado por brigas.

 

 



Na noite anterior aos fatos, o companheiro de Larissa ficou na casa da sogra cuidando dois filhos do casal. No entanto, a vítima preferiu ficar na casa da sogra, para onde levou uma amiga com o objetivo de fazerem uso de drogas, o que irritou Sandra. A sogra também se queixava, constantemente, de a nora não contribuir com as atividades domésticas.

Ainda naquela noite, de acordo com levantamentos, Sandra chegou a pedir R$ 10 reais a Larissa com o objetivo de comprar drogas. A negativa da nora enfureceu ainda mais a sogra. Na manhã do crime, Sandra bateu à porta do quarto onde Larissa dormia e ordenou que ela fosse embora. A vítima se negou a sair da casa, momento em que Sandra buscou o filho exigindo que Larissa saísse de sua casa.

 

 



A fim de evitar mais discussões, o companheiro de Larissa foi até o imóvel e pediu que a mulher fosse embora com ele. Já do lado de fora da casa, nora e sogra voltaram a discutir e, diante das ofensas, Larissa deu um tapa na cara de Sandra.

Avelino, que acompanhava Sandra neste momento, levantou a camisa, mostrando uma pequena faca que trazia consigo. Sandra então pegou a arma e desferiu um golpe contra o tórax da nora, que não resistiu ao ferimento.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.