sexta-feira, 12 de Agosto de 2011 09:19h Atualizado em 12 de Agosto de 2011 às 09:25h. André Bernardes

Novo Carrapateiro

Depois da operação Candidés, que retirou os usuários de drogas do Carrapateiro, os usuários estão migrando para outros locais. Perto do estádio Waldemar Teixeira de Faria “Farião” podemos ver a qualquer hora do dia pessoas se drogando.

A “Operação Candidés” que retirou mais de quarenta usuários de drogas perto do pontilhão do bairro Niterói, mais conhecido como Carrapateiro, conseguiu internar mais de quinze dependentes químicos. Quem não quis o tratamento voltou as ruas e um novo “Carrapateiro” está sendo criado.
O local escolhido pelos usuários desta vez é na entrada do Campo Waldemar Teixeira Faria, mais conhecido como Farião. Nossa reportagem passou pelo local as 10h da manhã. Perto de crianças soltando papagaios e pessoas trabalhando, os usuários consumiam as drogas tranquilamente.


D. L.  mora perto do campo. Por motivo de segurança ela não quis se identificar, mas contou que está assustada com o que está acontecendo na porta de casa. “É o dia todo pessoas gritando, fumando e da minha casa eu  vejo tudo. Estamos presos em nossas casas e meus filhos adolescentes por exemplo, não podem chegar em casa muito tarde mais, pois o risco é grande” relatou. Já foram constatados diversos casos nos arredores do estádio de usuários baterem de porta em porta pedindo dinheiro aos moradores.


O foco da Operação Candidés desde o início não era prender ninguém e sim identificar os usuários que estavam lá e monitorá-los caso não aceitassem o tratamento. O grande medo da população pós operação era para onde os usuários iriam consumir as drogas.


A resposta já foi dada, o ponto é o único estádio de futebol do município. Não são apenas usuários de drogas que mudaram de local. Com eles foram juntos a prostituição, tráfico e a criminalidade. “Nós temos medo, pois estas pessoas não têm controle de si e podem ser perigosas” disse D.. Como o município não possui uma clínica de tratamento involuntário, a única medida que cabe ao município e a polícia e monitorar os usuários. De acordo com o capitão Jocimar, da Polícia Militar, o trabalho de monitoramento já está sendo feito  com diversas abordagens. “O número de usuários que estão naquele local é pequeno perto que havia no carrapateiro, mas estamos atentos, monitorando e preparando ações para aquele local” informou.  O capitão disse que no próximo dia 19 será feita uma reunião para avaliar a operação Candidés e discutir sobre a migração dos usuários de drogas para outras regiões da cidade. “Não temos mais segurança, é qualquer hora do dia. As crianças não podem mais brincar na rua, pois é perigoso. Somos vítimas desta situação caótica” disse D.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.