terça-feira, 23 de Agosto de 2011 09:55h Natalia Santos

Órgãos de segurança se unem para treinamento

O objetivo é reduzir ainda mais a criminalidade de forma integrada

Começou ontem, 22 de agosto, o Treinamento Policial Integrado (TPI) da 7º Região Integrada de Segurança Pública. Na primeira formação, 35 policiais sendo 27 militares e oito civis. O curso promete troca de experiência e qualificação dos trabalhos das organizações. O primeiro módulo do treinamento realizado ontem teve como tema “A política de Integração da Defesa Social”.

 

De acordo com a Assessoria de Comunicação Organizacional do 23º BPM, o curso tem por objetivo capacitar os policiais para atuar de forma integrada nas operações inerentes aos seus trabalhos. A interação proporcionada por este curso segundo o Batalhão a partir das práticas pedagógicas torna-se precioso instrumento para a construção de uma práxis voltada para beneficiar a comunidade.

 

Na solenidade a delegada da 1º Regional da Polícia Civil, Aparecida Dutra Quadros, destacou o treinamento como momento impar quando o assunto é segurança pública. Ela que hoje é interina como chefe de departamento da Polícia Civil, ressaltou que já acontece na cidade e região um trabalho integrado entre os órgãos, mas chamou a atenção para a qualificação deste trabalho. “Creio que esta é a oportunidade de qualificar nossas ações para que possa gerar melhores resultados”, endossou Aparecida.

 

Com o mesmo pensamento, o comandante da 7º Região da Polícia Militar, coronel Eduardo Campos apontou um crescimento no número de homicídios na cidade, e frisou o treinamento das organizações como o momento de melhorar os índices. “Esta parceria é de suma importância não só para as organizações, mas para toda a sociedade. Nós queremos buscar a paz social e temos que trabalhar juntos”, indagou Eduardo. A diretora de gestão integrada da Secretaria Estadual de Defesa Social, Cláudia Brígida também participou da solenidade. De acordo com a diretora, o TPI é um desafio e no evento convidou todos os participantes para vencê-lo. Ela parabenizou as forças de segurança da cidade por conseguir atingir bons resultado nos números de criminalidade e pontuou o curso como o aperfeiçoamento das ações. “Queremos proporcionar a troca de informações, cada um tem seu papel e a união deste proporciona melhores resultados”, salienta Cláudio.

 

Sobre a união de forças, o tenente coronel Luis Antônio Matos, do 10º Batalhão de Bombeiros Militar reforçou que deve ser continuada e principalmente aperfeiçoada com o TPI. Ele destacou ainda que no primeiro grupo de formando não conta com a participação de bombeiros e fez o pedido para que na próxima edição possam ter alguns de seus representantes. Representando o executivo de Divinópolis, o secretário de defesa social Adilson Quadro admitiu que somar esforços com todos os órgãos de segurança é a melhor arma na luta contra a criminalidade. “Conforme pedido pelo prefeito Vladimir Azevedo estaremos juntos quando o assunto for segurança”, festejou Quadros.

 

O curso

 

A ideia do treinamento é instituir um amplo modelo de ação que atenda aos interesses coletivos com vistas a combater a criminalidade e a sensação de insegurança do cidadão. Durante as 40 horas do curso eles terão oportunidade de trocar experiências, intercambiar conhecimentos e construir relacionamentos que ultrapassem a prática pedagógica. O Núcleo de Ensino Integrado, a iniciativa visa ainda proporcionar aos discentes, oportunidade para reflexão sobre os modelos comportamentais das organizações policiais, conscientizando-os da importância de pautar sua conduta nos limites da lei, da ética e dos Direitos Humanos.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.