terça-feira, 15 de Outubro de 2013 07:24h Atualizado em 15 de Outubro de 2013 às 10:41h. Luiz Felipe Enes

Pacientes de PSF’s tem atendimento comprometido devido a furtos nas unidades

Dois bairros foram afetados nessa segunda-feira (14). As unidades do Primavera e Santos Dumont foram invadidas e materiais levados

Uma sequência de furtos tem tirado o sossego tanto de funcionários, assim como de quem frequenta os postos de saúde nos bairros mais distantes em Divinópolis. Somente na madrugada dessa segunda-feira (14), duas unidades de atendimento à saúde tiveram alguns produtos levados pelos criminosos.

As Unidades de Saúde da Família, conhecidas também por Postos de Saúde tem se tornado alvo para pessoas mal intencionadas. O posto de saúde do bairro Primavera, responsável por atender também aos bairros Del Rei, São Lucas, São Geraldo e São Simão, teve suas atividades suspensas durante a manhã de ontem.

A unidade atende em média 2800 pessoas por mês. Segundo funcionários do local, os responsáveis sempre agem à noite, principalmente durante a madrugada. No PSF do bairro Primavera, mais de 50 pessoas deixaram de ser atendidas, em virtude dos equipamentos que foram levados pelos criminosos.

Dois computadores e três monitores foram levados do PSF Primavera. Essa é a terceira vez que o posto de saúde é alvo de atos criminosos. Na última vez em que a unidade foi furtada, um bebedouro e um compressor odontológico foram levados. O local não possui muitos recursos de segurança.

De acordo com um enfermeiro da unidade, um ofício fora encaminhado no ano de 2012 à Secretaria Municipal de Saúde, solicitando equipamentos que auxiliem na segurança, como por exemplo, alarmes, sistema de monitoramente interno entre outros itens que possam coibir a presença de criminosos.

Foram os próprios moradores e pacientes do posto responsáveis por alertar os funcionários sobre os riscos do bairro. “A região é um pouco violenta e já desconfiamos de quem está envolvido nesses delitos. Com isso, quem acaba perdendo são os pacientes, com as consultas atrasadas”, afirma um enfermeiro que por segurança não quis revelar a identidade.

INVASÃO NO PSF SANTOS DUMONT

Do outro lado da cidade, no bairro Santos Dumont, a unidade de saúde também foi invadida. Criminosos entraram durante a madrugada de domingo para segunda-feira, pularam o muro e arrombaram a porta. De dentro da unidade, levaram um notebook e uma TV LCD de 42 polegadas, que ficava na recepção e ainda um pacote de preservativos.

Nessa unidade de saúde, que atende a aproximadamente 2700 pessoas dos bairros Santos Dumont, Terra Azul, Costa Azul, Quinta das Palmeiras e Maria Peçanha muitas pessoas se deslocam há uma grande distância e não tem o devido atendimento, em virtude dos furtos registrados nas unidades de saúde.

O PSF Santos Dumont teve as atividades suspensas na manhã de ontem, por falta de equipamento necessário para registro dos pacientes que lá frequentam. O posto também deverá atender aos moradores do Conjunto Habitacional Copacabana, aumentando para quase 3500 o número de pacientes a utilizar a unidade.

No bairro Santos Dumont, esse é o segundo furto na unidade. Moradores e profissionais acreditam ser pessoas da região, que conhecem bem o funcionamento do posto e até mesmo os horários e equipamentos lá existentes. Uma queixa comum é a iluminação da rua. Já existem os postes, mas não há lâmpadas.

“Deveria ter uma grade, um equipamento de alarme, travas entre outros equipamentos que melhorem a segurança do nosso local de trabalho”, declara a Agente de Saúde Graciele Souza.

Mas não é só a funcionária do posto que questiona as obras ou falta delas no bairro Santos Dumont. Um morador do local ao notar a presença da nossa reportagem gritou do alto de um prédio próximo: “Faça uma matéria falando sobre a falta de iluminação aqui, ninguém merece”. De fato, existem os postes, mas não há lâmpadas de iluminação.

A prefeitura de Divinópolis informou que as obras para os bairros da região do Santos Dumont estão previstas e inclusas no PAC 2, dentre elas calçamento e iluminação. Já em relação aos postos de saúde, estudos devem ser feitos para reforçar a segurança.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.