sábado, 26 de Julho de 2014 05:42h

Pará de Minas

Crânio encontrado em mata será analisado por centro de antropologia forense

O crânio encontrado em uma vegetação na localidade de Barro Preto, em Pará de Minas, na última segunda-feira, continua sendo alvo de muitos questionamentos. Afinal, quem era aquela pessoa e qual a razão para que o crânio estivesse naquele local?
É atrás destas respostas que trabalha a Delegacia de Homicídios da cidade. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Francis Diniz Guerra, o crânio será enviado para um centro de investigação em antropologia forense, em Belo Horizonte, que deverá detalhar todas as características do corpo ao qual o crânio pertencia. “Após tomar ciência dos fatos, nossa perícia compareceu ao local e foi encontrado somente o crânio. Agora ele será levado para Belo Horizonte onde o especialista vai apontar o sexo, a idade aproximada e todas as características para iniciarmos uma investigação para sabermos o que de fato se trata este caso. É um trabalho demorado”, afirma o delegado.
Chegou a ser especulado na cidade que o crânio poderia ser de Fábio Magela da Silva, o Fabinho, desaparecido desde o início deste ano. “Em momento algum esta informação partiu da Polícia Civil. Não descartamos nenhuma possibilidade, mas é muito cedo e muito temerário falar a respeito do Fábio, que ainda é um caso que está em aberto. Precisamos do laudo do médico legista para subsidiar o início da investigação. É muito prematuro falar qualquer coisa”, finaliza.

 

 

 

Fonte: JC Notícia
Crédito: Luiz Silva

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.