quinta-feira, 24 de Setembro de 2015 09:55h Atualizado em 24 de Setembro de 2015 às 09:58h. Carina Lelles

PC prende chefe do tráfico no bairro São Luíz

Armas, drogas, munições e dinheiro foram apreendidos. Outro suspeito também foi preso

Na manhã de ontem, a Polícia Civil de Divinópolis prendeu dois jovens, sendo um deles apontado como o chefe do tráfico na região do bairro São Luiz. Drogas, armas e munições foram apreendidas e outras seis pessoas envolvidas com a organização criminosa foram identificadas.
De acordo com o Delegado de Tóxicos, Marcelo Nunes Júnior, as investigações duraram um mês, a partir de denúncias feitas pela população de intenso tráfico de drogas e disparos de arma de fogo em uma mata próximo à casa dos suspeitos.
Ainda de acordo com o Delegado, os investigadores foram a campo, fotografaram as residências dos suspeitos, levantaram quem comandava o crime no local, realizando campana por cerca de 30 dias. “Pedimos ao Judiciário mandado de busca e apreensão e logramos êxito em localizar os suspeitos e os materiais. Cercamos a casa no início da manhã e conseguimos realizar a prisão dos dois suspeitos e um deles é apontado como o chefe do tráfico daquela região. A ação foi bem contundente e eles nem esboçaram reação”, ressalta Marcelo.
Na casa dos suspeitos, os agentes encontraram algumas munições e pequenas porções de drogas. O restante do material foi encontrado na mata que eles utilizavam para esconder as drogas e armas. “Hoje em dia, nenhum criminoso deixa material nas residências mais. O restante do material estava escondido em uma mata próximo à casa deles, que já vinha sendo monitorada pelos agentes”, explica o Delegado.
Ao todo, foram apreendidas seis armas, dois quilos de maconha, 300 gramas de cocaína, cinco balanças de precisão, quatro munições calibre 12, 19 calibre 380 e 53 calibre 22. Também foram encontradas duas toucas ninjas, nove potes contendo material para desdobramento de drogas e R$2 mil em dinheiro.
Mateus Silva Faria, de 24 anos, é apontado como o chefe da organização criminosa. Ele não possui passagens criminais, mesmo tento cometidos delitos quando adolescente, entre eles homicídio, a lei “zera” ao completar maioridade. O outro suspeito, apontado como o “braço direito” de Mateus, é Gustavo Henrique Oliveira, de 21 anos, que também não possui passagens criminais.
Em entrevista à imprensa, Gustavo disse que a droga encontrada na casa dele é para consumo próprio e confessou que tinha munições, mas não explicou para que armazenava o material. O outro suspeito preferiu ficar calado.
As investigações irão continuar para prender os outros suspeitos já identificados. Devido ao poder de armamento deles, segundo Marcelo Nunes, é possível que eles estejam envolvidos em homicídios. “É uma organização criminosa de difícil acesso e cada um tem uma função específica. Outras seis pessoas envolvidas já foram identificadas, incluindo menores utilizados para a venda, entrega e para enterrar os entorpecentes”, finaliza.

 

Créditos: Carina Lelles

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.