sexta-feira, 23 de Março de 2012 18:47h Atualizado em 24 de Março de 2012 às 09:42h. Paulo Reis

PM realizam Operação na “Lajinha”

Motos e carros foram utilizados para o cumprimento de 20 mandados de busca e apreensão. A operação começou na tarde de ontem e se estendeu até a noite. PM apresentou um trabalho ostensivo à comunidade e reforçou a proximidade junto aos cidadãos.

Na tarde da última sexta-feira (23) a PM realizou por todo o bairro Alto São João de Deus a Operação Guardião II que contou com a presença de 25 viaturas, 10 motos e 130 Militares .
A ação teve por objetivo a pacificação e combate a marginalidade naquela região. Os policiais percorreram diversas ruas do local e efetuaram algumas apreensões como de um revólver e drogas. A operação começou no fim da tarde e se estendeu até parte da noite.
Além de coibir a criminalidade esta ação visa também manter sempre próxima a Polícia Militar da comunidade como afirmou o comandante do 23º Batalhão, Tenente Coronel Júlio Teodoro.
A Polícia mais uma vez desenvolveu um trabalho ostensivo junto aos moradores, bem como preventivo principalmente quanto a participação das pessoas para solução dos problemas. Ao todo foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão em pontos específicos do bairro. 
Alguns moradores também conversaram com a reportagem da Gazeta e expuseram a situação vivida por eles no lugar. Muitos deles citaram a palavra justiça durante o diálogo. As mortes e ameaças também foram lembradas.
“Atualmente a impunidade toma conta do pedaço, andar pelas ruas já se tornou algo evitado seja noite ou dia” afirmou uma das moradoras do bairro que preferiu não se identificar com medo de represálias.
“A presença da Polícia não intimida a comunidade, pelo contrário reforça a segurança no local”, como lembra um segundo morador que também pediu para falar com nossa reportagem.
A PM reforça que caso as pessoas saibam algo sobre qualquer assunto que possa colaborar para a resolução de crimes ou até mesmo preveni-los deve acionar os Militares por meio do telefone de emergência 190, ou caso não queira se identificar basta ligar para o número 181, que ainda oferece uma senha para os denunciantes acompanharem o andamento das investigações.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.