sexta-feira, 23 de Março de 2012 12:06h Paulo Reis

Polícia Civil de Pará de Minas soluciona assassinatos no Município

O primeiro foi registrado em fevereiro de 2011 e o segundo em fevereiro de 2012

A 3ª Delegacia Regional da Polícia Civil da cidade de Pará de Minas concluiu na tarde da última quarta-feira (21) a investigação acerca de dois assassinatos registrados no município coincidentemente no mesmo dia 19 de fevereiro, porém um em 2011 e o outro um ano depois.
O primeiro foi registrado no dia 19 de fevereiro de 2011, na antiga rodoviária de Pará de Minas, que fica na Praça Torquato de Almeida. A vítima José Cirilo de Menezes, de 62 anos, foi assassinado com vários golpes de tamborete de madeira na cabeça.
Uma testemunha que estava no banheiro, descreveu as características do assassino e a Polícia Civil fez o retrato falado do suspeito. O suspeito, de 59 anos, chegou a ser identificado em agosto de 2011, mas a justiça negou o pedido de prisão para o mesmo.
Um dos inspetores da Delegacia Regional, diz que a prisão foi decretada somente em outubro.
O acusado se apresentou na Delegacia na última segunda-feira (19) e assumiu a autoria do crime. De acordo com a Polícia, o homem disse ter matado José Cirilo por ciúmes dele com a sua esposa.
De acordo com o infrator a mulher recebeu encomendas da irmã do aposentado para costurar algumas peças de roupas. José Cirilo sequer teve contato com a costureira, mas mesmo assim o marido agiu com violência.
O suspeito foi conduzido para a penitenciária Pio Canedo até uma decisão contrária da justiça.
O segundo inquérito finalizado apurou detalhes da morte de Alex Sandro Cassiano Lata Theodoro, de 27 anos, que foi assassinado na rua Santa Rita, bairro Padre Libério, também em Pará de Minas, na manhã do dia 19 de fevereiro deste ano, exatamente um ano após o crime na antiga rodoviária.
A Polícia Civil informou que as investigações mostraram que a vítima foi morta por um indivíduo de 27 anos e por um adolescente de 17. Os dois pularam o muro da casa da ex-amásia de Alex Sandro, onde ele dormia, e passaram a golpeá-lo ainda na cama.
A vítima conseguiu correr para a rua e, antes de morrer, chegou a revelar o nome de um dos autores.
Segundo um Policial Civil, horas antes do assassinato, Alex Sandro teve uma briga com o suspeito de 27 anos na avenida Presidente Vargas, onde era realizado o carnaval de rua da cidade.
De acordo com a Polícia Civil, os dois acusados estão em liberdade. No entanto, a delegada responsável pelo inquérito pedirá à justiça a prisão preventiva do adulto e a apreensão do menor. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.