quarta-feira, 25 de Novembro de 2015 10:08h

Polícia Civil esclarece latrocínio cometido no Parque Estadual do Rola Moça

A apreensão do segundo adolescente envolvido no latrocínio do Parque Estadual do Rola Moça levou a Polícia Civil a esclarecer as circunstâncias e autoria de um crime que chocou a população devido à crueldade praticada contra as vítimas

Os trabalhos investigativos foram realizados por policiais da Delegacia Regional de Ibirité e a apreensão teve o apoio da 2ª Delegacia Especializada de Apuração do Ato Infracional de BH.

O casal William Avelino de Souza, de 30 anos, e a namorada dele, K.S.M, de 20, foram abordados no Parque do Rola Moça, no dia 29 de outubro deste ano.  Durante o assalto, William foi morto a tiros e a namorada sofreu estupro, sendo jogada em um barranco, na sequência. Os dois tiveram, ainda, seus pertences roubados.

A apuração do latrocínio, estupro e tentativa de homicídio resultou na apreensão do primeiro adolescente, de 16 anos, no dia 13 de dezembro. Apontado como executor dos crimes, ele acabou confessando a prática dos atos à Polícia Civil. O outro jovem, também de 16 anos, foi apreendido no dia 23 de novembro, por ter participado indiretamente do episódio ao levar, em um veículo roubado, o comparsa ao local do crime.

“A motivação inicial dos dois seria apenas roubar as vítimas. Eles foram até o local com esse intuito”, explicou o delegado Luiz Otávio Fonseca Matozinhos, que comandou as investigações. Ainda segundo ele, os jovens já possuíam envolvimentos anteriores em atos infracionais contra o patrimônio. Os dois estão internados no Centro de Internação Provisória  em Belo Horizonte.

As investigações continuam, com objetivo de apurar outros envolvidos no roubo do veículo que foi utilizado no crime, para que o inquérito seja concluído.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.