sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2016 12:12h Atualizado em 5 de Fevereiro de 2016 às 12:13h.

Polícia Civil prende líder do tráfico de drogas na Pedreira Prado Lopes e comparsa

A Polícia Civil prendeu, na noite da última sexta-feira (29/01), Filipe Douglas de Sousa, o “Liê”, de 28 anos, considerado um dos maiores chefes do tráfico de drogas no Estado

No dia seguinte, 30/01, foi preso Reginaldo Almeida, de 52, considerado o braço direito de Filipe. Os dois são suspeitos de envolvimento na morte de Edson dos Santos de Oliveira, de 56 anos, que morreu espancado por quatro homens na Pedreira Prado Lopes, região Noroeste da capital, no dia 6 de janeiro. Edson seria usuário de drogas e teria furtado um queijo de um estabelecimento comercial do aglomerado. Filipe teria sido o mentor do crime, além de ter participado da execução com Reginaldo. De acordo com testemunhas, os traficantes ordenaram que a polícia não fosse chamada. Toda a ação foi flagrada por câmeras de vigilância do Programa Olho Vivo.

 

 



Filipe já vinha sendo monitorado pela polícia e foi localizado na noite do dia 29, em uma festa realizada por ele, na Av. Raja Gabaglia, no bairro Santa Lúcia, na região Centro-Sul de BH. Ele tentou fugir e foi preso após intensa perseguição na BR-040. Já Reginaldo foi preso no dia 30, em sua casa, na Pedreira Prado Lopes, em cumprimento de mandado de prisão.

Os dois suspeitos estão presos temporariamente, por 30 dias. Filipe se encontra no Presídio de São Joaquim de Bicas 2, em São Joaquim de Bicas, na região Central do Estado. Reginaldo aguarda encaminhamento para o sistema prisional.

 

 


Filipe já possuía antecedentes criminais por outros cinco homicídios consumados; tráfico de drogas; associação para o tráfico; coação no curso do processo e receptação, já tendo sido condenado por homicídio tentado e associação para o tráfico. Reginaldo possuía antecedentes por crimes de trânsito.

De acordo com o delegado que preside as investigações, Murillo Ribeiro de Lima, da 4ª Delegacia de Polícia Civil Noroeste, tais prisões exercem efeitos consideráveis no cotidiano do aglomerado Pedreira Prado Lopes, enfraquecendo o domínio de tal organização criminosa na localidade. O delegado ainda alerta que é necessária a intensificação das investigações naquele território, impedindo que os criminosos se restabeleçam ou que grupos rivais passem a gerenciar o comércio ilícito de drogas.

As investigações agora prosseguem, com o objetivo de identificar e localizar os demais envolvidos no homicídio.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.