sábado, 14 de Fevereiro de 2015 06:39h Atualizado em 14 de Fevereiro de 2015 às 06:44h. Pollyanna Martins

Polícia Civil prende quadrilha que roubava veículos em Divinópolis

Suspeitos roubavam os veículos e depois exigiam resgate

A Polícia Civil prendeu na última quarta-feira quatro suspeitos de participarem de uma quadrilha, que roubava veículos em Divinópolis e depois exigia dos proprietários um resgate para ter os automóveis de volta.
Segundo o delegado de Furtos e Roubos de Veículos Ed Elvis a quadrilha agia há seis meses na cidade e praticava roubos e furtos entre 21h e 3h. “Eles iam três a cinco pessoas, isso varia de acordo com o crime, usam de duas a três armas, nem todos estão armados porque tem o que vai dirigir o veículo, e pegam a vítima de surpresa. Abandonam a vítima, levam o veículo para um local de difícil acesso, entram em contato com a vítima para depois negociar o valor do resgate do veículo”, explica.
Foram presos Wesley Henrique Ferreira, de 23 anos, Wesley Batista Silva, 20 anos, Wesley Neves, 21 anos, e Breno Yuri, 19 anos. De acordo com o delegado, os bandidos cobravam das vítimas de R$ 1 mil a R$ 5 mil. Os suspeitos ameaçavam as vítimas que, coagidas, entregavam o valor do resgate e eram instruídas a comunicarem à polícia o reaparecimento do veículo.
“Geralmente os carros de luxo são mais caros e eles chegaram a pedir R$ 10 mil reais. Era uma ordem deles e eles também ordenavam para as vítimas não revelarem toda essa trama criminosa, toda essa negociação, com medo de serem novamente vítimas”, conta do delegado.
Os suspeitos foram presos em uma casa na zona rural de Divinópolis, na região do Córrego do Paiol. No local os policiais encontraram R$ 2500 que teria sido pagos por um resgate, outros R$ 600, várias joias, perfume importado, som automotivo, capacetes, máscaras entre outros produtos.
De acordo com delegado de Furtos e Roubos, Renato Fonseca, a polícia suspeita que haja outros envolvidos na quadrilha. “Até agora são quatro identificados. Um foi reconhecido como sendo o executor do assalto e um deles era o contato para pedir o resgate, e dois tinham participação acessória. Todos têm passagens pela polícia. Eles não colaboraram, mas nós estamos trabalhando para checar comparsas deles e tentar encontrar as armas utilizadas nos crimes”, diz.

 

DENÚNCIAS
O delegado Ed Elvis solicita às vítimas deste tipo de crime que compareçam à delegacia para reconhecer os suspeitos e os materiais aprendidos. “As vítimas devem nos procurar, porque isso nos auxilia cada vez mais a identificar o número de crimes, porque nós sabemos que está acontecendo, porém, o medo que foi feito durante o assalto e extorsão foi tão grande que as vítimas estão extremamente acuadas”, ressalta.
Conforme o delegado Renato Fonseca, os criminosos irão responder também pelo crime de extorsão e poderão pegar uma pena de quatro e dez anos. “Se a vítima cede a isso e paga, ela está fomentando que esse criminoso continue praticando novos fatos com outras vítimas e ganhando dinheiro”, alerta.
Quem tiver qualquer informação que ajude nas investigações deve ligar para o 190 ou 181.

 

Crédito: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.