segunda-feira, 1 de Outubro de 2012 09:39h Erik Ulysses

Polícia Civil prende quatro suspeitos de assassinato durante operação contra a criminalidade

Na manhã de ontem durante uma operação de combate a criminalidade, o Departamento de Homicídios da Polícia Civil de Divinópolis prendeu quatro suspeitos de serem os autores de um assassinato ocorrido na cidade no dia 2 de setembro. Na ocasião, o corpo de Genivaldo Pereira Leal, de 18 anos, foi encontrado no bairro São Caetano às margens da MG-050 com 12 perfurações por arma de fogo.

 


De acordo com o delegado Marcelo Nunes, as investigações começaram logo após o assassinato e em um prazo rápido a Polícia Civil já tinha os nomes dos suspeitos. “Nós começamos a colher provas e conseguimos três testemunhas oculares do fato que relataram todos os detalhes de como aconteceu. Hoje com os laudos todos prontos nós pedimos, representamos, ao judiciário pelos mandados de prisão dos quatro envolvidos e mandados de busca para encontrarmos as armas do crime. Os autores foram presos, infelizmente as armas não foram encontradas e o homicídio está solucionado” garantiu o delegado.

 

Os suspeitos foram presos no distrito de Ermida. Segundo o delegado a vítima e os autores do assassinato são todos da região. Foram presos Cleiton José da Silva, Mairon Diogo Fontes, Guilherme Pereira Santos e Cláudio Henrique Ferreira, sendo que os três primeiros tem idade de 20 anos e o último 24.

 

As investigações desde o início apontaram para um crime relacionado ao tráfico de drogas, uma vez que a vítima tinha passagens por tráfico. O delegado afirmou que os autores eram amigos da vítima, porém Givanildo havia aberto uma boca de fumo o que teria provocado a ira dos outros traficantes. “A vítima era amiga dos autores e eles trabalhavam na venda do tráfico de drogas. Parece que a vítima estava querendo abrir uma boca de fumo e vendendo sozinho e isso gerou uma discórdia entre o grupo” disse o delegado.

 


O delegado Marcelo Nunes contou ainda o que teria acontecido no dia do crime. “Eles estavam em uma festa, houve uma discussão, nós descobrimos até o local da festa. Após a discussão, com disparos de arma de fogo de ambas as partes, mas para o alto, querendo intimidação aparentemente eles chegaram a fazer as pazes, a vítima inocente acreditou e voltou de carona com os autores. No meio do caminho eles pararam o veículo e efetuaram os disparos contra Genival. Eles enganaram a vítima, teve a traição, foram doze disparos e também a crueldade por parte dos autores. E depois evadiram acreditando que não seriam descobertos” finalizou.

 


O delgado afirmou que os suspeitos negaram os fatos, mas que as provas contra eles são contundentes e diz que acredita que a justiça irá fazer o restante do papel e colocar os quatro suspeitos atrás das grades.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.